Voo de Balão - Atacama - Chile © Phaway Voo de Balão - Deserto do Atacama - Chile © Phaway
Publicado em Junho 29, 2020

Passeio de balão no deserto do Atacama, Chile

Américas/ Chile [ Atacama ]

Durante a minha viagem ao Deserto do Atacama, no Chile, uma das atividades que mais gostei foi, sem dúvida, o passeio de balão de ar quente. Assistir ao nascer do sol e observar esta região numa outra perspetiva… voando por cima da que é considerada uma das zonas mais áridas do planeta: o Deserto do Atacama. Foi uma viagem incrível, e inesquecível, como podem ver pelo vídeo:

O Deserto do Atacama, no Chile, estende-se por 1600 Km de comprimento e 180 Km de largura. Ao longo do passeio vamos vendo pequenos lagos, que são reservatórios de água, e o chão castanho e avermelhado, coberto de algo branco, que parece neve… mas é sal. Há três milhões de anos, esta era uma zona funda de mar. E essa característica transforma este local numa região única em todo o mundo.

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Como se processa o passeio de balão de ar quente no Deserto do Atacama:

– Acordámos muito cedo e vão-nos buscar ao alojamento (depois também nos vão levar de volta).
– Pode comer qualquer coisa, mal acorde, mas o pequeno-almoço é servido depois do passeio e está incluído no preço. Antes de entrarmos no balão, ainda de noite, tem também bebidas quentes (de noites está sempre fresco) e alguma coisa para comer.

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

– Quando chegámos ao local ainda é de noite, apesar de o sol começar a espreitar por detrás dos montes e vulcões do Atacama. E assistimos ao crescer do balão, com ar quente. O silêncio é brutal, no descampado onde estamos, e só se ouvem as labaredas de fogo que estão a “encher” de ar quente o balão.

– Quando o balão começa a erguer-se, está na altura de saltar lá para dentro e ouvir as instruções de segurança, caso seja necessária uma aterragem de emergência. Já fiz três passeios de balão de ar quente e tive sempre aterragens tranquilas.

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

– Quando o balão está preparado, vamos começando a subir, lentamente, e os raios de sol são cada vez mais fortes. O chão começa a afastar-se e as pessoas, que ficaram lá em baixo, começam a ficar cada vez mais pequeninas.

– É um passeio muito calmo e onde o piloto nos vai dando informações do que estamos a ver: ao longe, no meio de uma área bastante verde – que ate contrasta com toda a aridez em redor – está San Pedro de Atacama. E também, de cima, consegui ver a Cordilheira do Sal e os Vales da Lua e da Morte, assim como algumas das Lagoas que visitei noutros tours.

A ver San Pedro de Atacama - Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

A ver San Pedro de Atacama – Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Nestas terras do Deserto do Atacama existem muitas lendas e o piloto contou-nos várias, mas guardei na memória uma em especial:

Estávamos cerca de oito pessoas dentro da pequena cesta do balão, mas todos estávamos sem palavras, só admirávamos a beleza do local. Isso e também estávamos com sono…

Só se ouviam as pequenas explosões de ar quente para dentro do balão, que nos elevaria a bastantes metros do chão, à medida que o sol ia nascendo.

Diz-nos o piloto que os montes, em nosso redor, representam homens e as montanhas são mulheres. Há até uma lenda, de uma verdadeira história de amor, que nos deixa a todos com um sorriso estampado na cara.

Reza então a lenda que o vulcão Licancabur se apaixonou pela (obviamente) bonita montanha Kimal e era correspondido. Mas Jurique, irmão do vulcão, também gostava dela… já estão a ver como isto acaba, não é?

O pai de ambos, o vulcão Lascar, enervou-se tanto com a disputa amorosa dos dois filhos que lhes lançou bolas de fogo, criando uma cratera em Licancabur, e a Jurique tirou-lhe o topo, ficando com o seu cume sem bico.

E, para os afastar da amada, criou a Cordilheira Domeyko, entre eles, com picos que chegam aos 3300 metros de altitude. Qual a parte que nos trouxe o sorriso?

“O amor é mais forte do que tudo, não é?”, pergunta-nos o piloto com ar de pergunta retórica. “Então, no solstício de verão, uma vez por ano, as sombras vindas da posição do sol fazem com que as sombras de Licancabur e Kimal fiquem unidas numa só. E isso simboliza a união eterna dos dois apaixonados”.

Ficamos ali, suspensos no ar, dentro de uma cesta, puxada por um balão de ar quente, a pensar no quão pequenos somos perante esta gigante Mãe Natureza, a Pachamama, e nas palavras que mostram as crenças de toda uma região.

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

– Depois do passeio, de cerca de 1 hora a voar, o balão começa a descer lentamente. Alguns carros seguem-nos, ao longe, para nos apanharem no local onde vamos aterrar.

– Quando descemos do balão de ar quente, depois de uma aterragem super tranquila, já temos uma mesa cheia de coisas boas para o pequeno-almoço.

– Também por tradição, os pilotos dos balões fazem brindes, com champanhe, no final de cada voo – de forma a celebrar o sucesso que foi a viagem.

Pequeno-almoço depois do Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Pequeno-almoço depois do Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Pequeno-almoço depois do Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Brinde depois do Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Já fiz passeios de balão de ar quente na Capadócia, na Turquia, e também no Fundão, em Portugal, na altura das cerejeiras em flor. São passeios que gosto sempre de repetir, primeiro porque gosto de “voar” e, depois, porque se tem uma perspetiva totalmente diferente do local que estamos a visitar.

O passeio foi feito através da Fui Gostei Trips. Toda a atividade demorará, com o buscar e entregar no hotel, voar, pequeno-almoço, etc, cerca de três horas.

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

“Arrumar” o Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente - Deserto do Atacama - Chile © Viaje Comigo

Passeio de Balão de Ar Quente – Deserto do Atacama – Chile © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo