Susana no Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo Susana Ribeiro no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo
Publicado em Março 6, 2018

A bordo do comboio de luxo Deccan Odyssey, na Índia

Ásia/ Índia/ Notícias

Foi uma viagem de sonho, esta que fiz no comboio Deccan Odyssey, pela região de Maharashtra e de Goa, na Índia. Em cada dia, tínhamos uma cidade nova para conhecer e entrar em contacto com tradições diferentes. A Índia é um país multicultural e tão grande que cada região tem as suas próprias tradições. Fomos conhecer Patrimónios da Humanidade, danças ancestrais, gastronomia de sabores apurados e, na Índia, somos recebidos de braços abertos e com sorrisos em todo o lado, principalmente nos locais menos turísticos.

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Entrada para o Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey – India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey – India © Viaje Comigo

Em cada estação que parava, o Deccan Odyssey estendia a passadeira vermelha para nós sairmos daquela que foi a nossa casa durante uma semana. Em cada estação, uma receção diferente, com a música e dança locais, como forma de nos darem, as boas-vindas. O programa do comboio começou em Bombaim, passando por Nashik, Aurangabad, grutas Ellora e Ajanta, Kolhapur, Goa, Sindhudurg e regresso a Bombaim.

Susana Ribeiro a bordo do comboio de luxo Deccan Odyssey, na Índia © Viaje Comigo

Susana Ribeiro a bordo do comboio de luxo Deccan Odyssey, na Índia © Viaje Comigo

Susana Ribeiro no Deccan Odyssey, na Índia © Viaje Comigo

Susana Ribeiro no Deccan Odyssey, na Índia © Viaje Comigo

Vista na janela - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista na janela – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

O Viaje Comigo foi convidado pelo Ministério do Turismo da Índia para representar Portugal no The Great Índia Blog Train, um evento que reuniu, neste comboio, 15 bloggers de diferentes países, da Eslováquia ao México, dos Estados Unidos à Hungria e de Portugal ao Chile, por exemplo. No total, esta ação do turismo indiano, envolveu viagens em quatro comboios de luxo, durante o mês de fevereiro de 2018, e a participação de 60 bloggers/influenciadores do mundo inteiro.

Para vos contar como foi a minha experiência a bordo do comboio tenho de começar pelo primeiro dia. Era suposto sair do hotel onde estava instalada, em Bombaim, com bastante tempo de antecedência e ir ter à estação de comboios, a Victoria Terminus, para o arranque do que seria uma viagem memorável. Mas, quase perdi o comboio. Porquê?

Alguns de nós queriam cartões para os telefones, porque tínhamos ouvido dizer que a rede no comboio era fraca. O que de facto veio a comprovar-se principalmente quando o comboio estava em andamento, o que era a maior parte do tempo – ainda assim, quando estava parado funcionava muito bem o wifi. Por isso, queríamos os cartões para o telemóvel para podermos publicar, sem restrições, a experiência nas redes sociais. Um de nós tinha-o feito já no aeroporto e disse que era muito fácil, que só tinha deixado tirar uma fotografia do passaporte e já estava. Pois, connosco foi tudo muito mais difícil: era preciso uma morada de residente, fotografias tipo passe, preencher papelada com todos os nossos dados, etc. Depois de batermos à porta de umas quantas lojas, e de percebemos que não íamos conseguir fazer isso, já estávamos atrasados para o comboio. Mas estivemos sempre tranquilos porque estávamos com uma pessoa da organização… Então, se ele não estava preocupado, nós também não estávamos. E, de facto, eu nem olhei para o relógio, de tão descansada que estava.

Tudo parecia controlado até que ficámos (éramos 5 dos 15 participantes) completamente presos no trânsito de Bombaim. No carro, começamos a ver que íamos perder o comboio. O condutor começou a perguntar formas de cortar caminho. E a pessoa da organização, começou a meter as mãos à cabeça. Foi quando começamos a receber mensagens dos nossos colegas, já dentro do comboio. Diziam “Onde estão? O comboio vai partir dentro de 15 minutos e não pode esperar”.

Pois, isso já tinha eu imaginado… que não ia esperar. Que os horários são para cumprir porque senão perdíamos ligações, etc. Foi então que começámos a ver no Google Maps se conseguíamos ir a correr até à estação… Já estava a preparar a mochila para as costas e a mentalizar-me para correr quando a pessoa da organização sai do carro e avança para o próximo cruzamento a pé. primeiro não percebemos porquê, mas depois vimos que a nossa fila começou a andar… até que o vemos a fazer de sinaleiro no meio do cruzamento! Entrou de novo no carro e fomos a voar até à estação. E foi assim que conseguimos chegar um minuto antes do comboio partir: saímos do carro a correr e só paramos dentro da carruagem. Perdemos a festa de inauguração, mas foi um alívio enorme entrar no comboio. Lição: o trânsito em Bombaim é caótico. Vá cedo para os seus compromissos 😀

Comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey – India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Bar no comboio Deccan Odyssey – India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Quarto do Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

DENTRO DO COMBOIO DECCAN ODYSSEY

A primeira coisa que fiz, ainda com a adrenalina ao rubro, por ter corrido para o comboio, foi perceber se as minhas malas tinham entrado. Fui até ao quarto e sim, já estava tudo lá. Fiquei num quarto com duas camas single – estava a partilhar com a minha colega italiana, a Diana Bancale. E apesar de ser um quarto num comboio, ou seja, pequeno, era muito confortável, mesmo que esteja a dividi-lo (como foi o meu caso).

No quarto tem uma casa de banho privada, com chuveiro e produtos de higiene, se necessitar (champô, gel banho, loção corporal, luva e touca de cabelo), e as toalhas são trocadas todos os dias se desejar – tem secador de cabelo. Também, todos os dias, quando saímos para os tours, arrumam e fazem a cama. No quarto tem um pequeno armário (tem dois, aliás) e chinelos de quarto, assim como roupão de banho. Tem também uma televisão no quarto. Não dá TV em direto (tem na sala de jogos a emissão em direto) mas tem filmes gratuitos para ver (tanto filmes em inglês como em hindi), como por exemplo: “Música no Coração”, “O Estranho Caso de Benjamim Button”, “Quatro Casamentos e um Funeral”, a trilogia d’O Padrinho, “Casablanca”, “Quem quer ser Milionário”, “The Avengers”, etc. São 12 em inglês e mais 10 filmes hindi. Também pode ouvir música, a partir da televisão.

Deccan Odyssey - Índia © The Great India Blog Train

Quarto do Deccan Odyssey – Índia © The Great India Blog Train

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

WC no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Chuveiro no WC do Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

No quarto do Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Cada carruagem tem o seu mordomo, ou seja, para qualquer coisa que necessite, basta clicar no telemóvel, que lhe deixam no quarto, e ele estará disponível para o que precise. Eu nunca precisei de nada… então, nunca o chamei. Mas, ele estava sempre a perguntar se tudo estava bem e a perguntar se necessitava de alguma coisa. Nota: no início da viagem é aconselhado deixar uma gorjeta, no final da semana, que será dividida por todos os funcionários – assim não serão uns privilegiados, porque estão sempre connosc,o e os que têm um trabalho na cozinha, por exemplo, nunca receberiam nada. Nessa gorjeta, sugerem um mínimo de 150 dólares por pessoa, por semana, mas poderá deixar mais se desejar.

No comboio Deccan Odyssey, de 21 carruagens, existem 40 quartos, incluindo quatro Suites Presidenciais que, além da área de cama, têm uma pequena sala com televisão. Além disso, o comboio tem duas salas de restaurante, um bar, uma sala de jogos, onde está uma loja e livros que podem ser emprestados, um spa (tem pelo menos duas salas para massagens e tratamentos), um salão de beleza (com cabeleireiro e onde pode cuidar das unhas, por exemplo) e um pequenino ginásio (com duas máquinas – passadeira e bicicleta – e pesos).

Num dos dias da viagem, fui espreitar a locomotiva que ostenta o nome Indian Railways, mas que de bonita não tem nada. É prática, suponho, mas nada bonita. Tem duas cadeiras para dois condutores, que se revezam em turnos. As nossas viagens decorriam quase sempre durante toda a noite, quando estávamos a jantar e depois a dormir.

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Spa no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Ginásio no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Massagem Room – Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Salão de beleza no comboio Deccan Odyssey - India © Viaje Comigo

Salão de beleza no comboio Deccan Odyssey – India © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Loja no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Sala de jogos no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Locomotiva do Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Dentro da locomotiva – Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

À medida que o comboio anda, vamos vendo as diferentes localidades. A maior parte das vezes não poderá sair, porque o comboio está só a fazer tempo, para deixar passar um outro e continuar viagem. À noite, há quem tenha demorado a habituar-se ao andamento do comboio a grande velocidade. Para mim, foi como um embalo e até ajudou a adormecer. Dica: (ou lição de vida) quando estiver com o comboio estiver em andamento, não deixe as portas do armário aberto. Nas curvas, as portas abrem-se e saem os cabides com as roupas disparadas. Se estivesse ali alguém ao lado… magoava-se.

E, por falar em balanço, também aconteceu o comboio andar a grande velocidade aquando do jantar. Os copos ficam com os líquidos inclinados e a comida começa a rolar no prato, mas nada de grave. Isto dito por quem já esteve num cruzeiro que balançou demais e depois enjoou. Comparativamente, no comboio não se sente quase nada, mesmo a grande velocidade – por vezes, a caminhar nos corredores parecerá que está bêbedo a cambalear, mas é só motivo para se rir ainda mais.

Todos os dias, quando saíamos para os tours havia uma série de mimos distribuídos pelos hóspedes: guardas-chuvas que mais serviam para tapar do sol, garrafa de água, boné e uns protetores de calçado. Na verdade, serviam para calçar por cima dos sapatos, porque em certos locais (museus e alguns templos, por exemplo) não poderá entrar com os sapatos. Noutros, terá mesmo de tirar os sapatos, por isso poderá colocar os protetores, como umas meias, nos seus pés.

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Armário que abriu com o comboio em andamento – Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Homem a descansar na estaçao Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

Homem a descansar na estaçao Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

O que vai acontecer sempre que sair do comboio:

– vai encontrar locais históricos fantásticos e pouco turísticos;
– os habitantes locais vão pedir para tirar fotos consigo, principalmente em lugares menos turísticos;
– vai ter de deixar os sapatos à entrada de imensos sítios como templos, museus e lojas;
– vai encontrar vacas no meio da rua (estamos na Índia!) e alguns macacos também;
– vai encontrar lixo espalhado em muitos lugares ermos, sobretudo sacos plásticos;
– vai encontrar gente que sorri sempre e diz olá e adeus aos forasteiros… que é você! Vai sentir-se sempre muito bem-vindo!

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Foto com grupo em Kolhapur – Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

A COMIDA NO DECCAN ODYSSEY

A comida a bordo do Deccan Odyssey era divinal. Mesmo! Todos os dias havia, no mínimo, duas propostas de entradas, duas de pratos principais internacionais, dois de comida indiana e duas para sobremesa. Havia sempre a sugestão indiana, nos três momentos da refeição, e depois criações diferentes com inspiração na cozinha mediterrânea ou a italiana. Existem também propostas para vegetarianos, vegan e se tiver outros pedidos (glúten free, etc) ou se for alérgico a algo, basta dizer para que, na cozinha, criem algo em especial para si. São muito atenciosos e super dedicados.

Ao pequeno-almoço, haverá sempre sumos naturais, fruta fresca, torradas, com manteiga ou compotas, croissants e pastelaria. Depois, terá também um menu onde pode escolher outras especialidades, como iguarias indianas, ou uma omelete de queijo, ovos mexidos, benedict eggs, etc. As seguintes fotografias servem simplesmente para ilustrar algumas das refeições, porque todos os dias havia diferentes propostas. No último dia comi lagosta, por exemplo.

Comida no Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Restaurante no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Pequeno-almoço no Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Pequeno-almoço no Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Na cozinha do comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Numa das duas cozinhas do comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comida no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

NÚMEROS DO COMBOIO DECCAN ODYSSEY

– 21 carruagens: 11 são para quartos, outras são de restaurantes, bar, sala de jogos, spa, salão de beleza, ginásio, sala de máquinas, quartos dos funcionários, etc.
– Cada carruagem tem 2 tanques de água com 600 litros para as casas de banho
– 11 carruagens com 40 quartos no total
– O comboio recebe, no máximo, 80 passageiros
– 4 Suites Presidenciais
– 5 quartos com camas duplas
– 31 quartos Deluxe
– 85 trabalhadores, fazem o serviço do comboio funcionar diariamente.

O programa Maharashtra Splendor, que foi o que eu fiz, existe oficialmente desde 2015 e a maioria dos passageiros vem do Reino Unido e dos Estados Unidos. Entretanto, começaram também a chegar visitantes de Espanha e há charters da Alemanha e Turquia, assim como vêm bastantes grupos da Tailândia e da China.

Restaurante no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Restaurante no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Restaurante no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Restaurante no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Restaurante no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Restaurante no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Bar no comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Bar no comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

PROGRAMA “MAHARASHTRA SPLENDOR” DO COMBOIO DECCAN ODYSSEY

Fiz esta viagem de 10 a 18 de fevereiro de 2018. Em cada paragem, há uma festa a receber-nos. Tambores e cornetas, bindis, com tinta vermelha ou amarela, e lá vamos nós conhecer mais uma maravilha da Índia. É mesmo verdade. Sem exagero, todos os dias ficávamos a conhecer locais muito especiais, que fazem parte do programa que eu fiz no Deccan Odyssey, no Maharashtra Splendor que parte de Bombaim, passando por Nashik, Aurangabad, grutas Ellora e Ajanta, Kolhapur, Goa, Sindhudurg e regresso a Bombaim.

Todos os dias há um novo local para explorar. A voz de uma das organizadoras dos tours soa em todos os quartos através de uma coluna, colocada entre as camas: “Bom dia, senhores e senhoras passageiros. Bem-vindos a… (nome da localidade). Estamos na estação de (nome) onde vamos visitar… (e diziam o programa). Depois de tomarem o pequeno-almoço, queiram por favor desembarcar, às 9h00 em ponto, para fazermos o nosso tour. Não se esqueçam de colocar protetor solar e de levarem os vossos chapéus e óculos de sol”.

Corredor do comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Corredor do comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Tivemos sorte porque, em nenhuma das localidades onde passamos, não estava demasiado calor. Um calorzinho bom, à volta dos 30 graus, mas não muito abafado. Talvez por isso, em três dos sete dias, os tours sejam de manhã bem cedo e à hora de almoço estamos no comboio para almoço e seguir viagem. É uma viagem que reúne o melhor de dois mundos: o de visitar locais novos sem nos termos de preocupar com a deslocação até aos mesmos e depois pode-se descansar, ler, desfrutar do bar ou dos jogos ou apenas relaxar dentro do comboio, enquanto a viagem prossegue, sem quase não darmos por ela.

As vistas que nos acompanharam, através das janelas dos comboios, eram muito diversas. Tanto podiam ser de montes, ou de verde palmeiras (como quando passamos por Goa), como poderiam mostrar campos enormes de plantações ou pararmos perto de estações, coladas a bairros de lata, rodeadas de lixo. O comboio é de luxo mas mostra o que tem de mostrar do país e os bairros de lata, infelizmente, fazem parte da vida da maior parte da população. É um mundo de luxo, dentro do comboio, mas que mostra tudo como é!

Vista na janela - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista na janela – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Vista na janela - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista na janela – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Vista na janela - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista na janela – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Num dos dias acordo e espreito pela cortina. Há galinhas a bicarem as pedras junto dos carris. O que comerão elas? Entretanto, tenho de esfregar os olhos para perceber o que fazem as pessoas que desaparecem debaixo da janela do meu quarto… Querem atravessar a linha de comboio, mas a composição é muito grande, por isso, passam por debaixo da carruagem… Diz-me um indiano que morre muita gente assim, todos os dias, a passar nos carris.

Durante a semana da viagem, passaram por nós centenas de outros comboios, com pessoas penduradas nas portas. A maioria não consegue ver para dentro do nosso comboio mas alguns tentam espreitar… e, caso aconteça algo, temos dois polícias a bordo, em permanência.

Na Estação de Kolhapur - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Na Estação de Kolhapur – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Vista de outros comboios - Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista de outros comboios – Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

No Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

No bar do Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

PROGRAMA: PRIMEIRO DIA: PARTIDA DE BOMBAIM

No primeiro dia, a partida é feita, a meio da tarde, na estação Victoria Terminus (também conhecida como Chhatrapati Shivaji), em Bombaim. Há uma festa na receção dos passageiros – à qual não assisti porque, como já expliquei, quase perdia o comboio. O comboio parte em direção em Nashik, com cocktails de boas-vindas e jantar a bordo.

SEGUNDO DIA: NASHIK

Chegamos a Nashik no domingo de manhã, bem cedo, depois de uma viagem de 187 Km. Aliás, o comboio já estava parado na estação há algumas horas, quando fomos chamados para o pequeno-almoço. Cá fora, uma banda dá-nos as boas-vindas.

Nashik é uma cidade especial e o melhor de tudo é que fica fora dos roteiros mais turísticos da Índia. Vai chegar lá e contar os turistas pela palma de uma mão… no máximo!

Situada no estado de Maharashtra, na Índia, Nashik (também apelidada de Nasik) é uma cidade localizada nas margens do rio Godavari e é considerada um dos locais sagrados mais importantes para o hinduísmo, servindo de comparação, muitas vezes, com a muito turística Varanasi. Aqui, também o rio é a peça central para os fiéis. Visitei a cidade num domingo, com milhares de pessoas a passearem nas ruas, comércio de tudo e mais alguma coisa aberto, e dezenas dentro de água, a banharem-se. De vez em quando, um apito soava dos guardiões do rio. Há locais específicos para se banhar, de forma religiosa, e é estritamente proibido lavar a roupa ou o que quer que seja nessas áreas. Leia mais.

Depois do passeio no centro da cidade de Nashik, fomos visitar as vinhas. Sim, há vinho na Índia! E Nashik começa a assumir-se como sendo uma capital do vinho no país. Fomos visitar as vinhas da Grover Zampa, que arrancou com o projeto em 1992, e produz diversos néctares com castas como Chenin, Chardonnay e Shiraz, por exemplo. E também almoçámos por lá. Leia mais.

Regressamos ao comboio de tarde, para começarmos a viagem em direção a Aurangabad – esperavam-nos 185 Km e algumas paragens, apenas para deixar passar outros comboios. Diga-se que, para quem fuma, poderá ser uma forma de deixar de fumar. Não é permitido fazê-lo dentro do comboio o(nenhuma janela abre) e estas paragens não dão para que se saia para a estação. Assim, são quando se chega ao destino é que poderá sair do comboio.

Receção do comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção do comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Receção em Nashik, do comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Nashik, do comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Nashik - Maharashtra - India © Viaje Comigo

Vendedora de romã – Nashik – Maharashtra – India © Viaje Comigo

Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

Banhos no rio – Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

Margens do rio Godavari - Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

Margens do rio Godavari – Nashik -Maharashtra- India © Viaje Comigo

TERCEIRO DIA: GRUTAS ELLORA

O comboio andou muito rápido durante a noite, com curvas e contra curvas, que provocavam risadas nos passageiros que viam os seus líquidos nos copos a inclinarem-se de um lado para o outro. Também se torna mais difícil andar direito nos corredores e parecíamos todos bêbedos, a cambalear 😀

De manhã, saímos do comboio e vamos conhecer uma parte de Aurangabad. É uma cidade industrial, na região de Maharashtra, e que se tornou mais turística por albergar as Grutas Ellora, que são classificadas Património da Humanidade pela UNESCO. A cidade tem influência Mughal – nota-se nos vários monumentos, como é o caso do Forte Daulatabad, Bibi-ka-Makbara e as 52 portas da cidade – e os habitantes são, na maioria, muçulmanos.

Passamos a manhã a explorar as fantásticas grutas Ellora. Na Índia, a história da cidade de Aurangabad (na região de Maharashtra) recua até ao segundo século antes de Cristo. Um dos seus locais históricos tornou-a um lugar mais turístico, mas ainda longe de ter muitos estrangeiros. Fomos numa manhã visitar as grutas – mais fresco durante a manhã – e viemos com a ideia que, de facto, a Índia tem muita mais riqueza patrimonial do que se possa imaginar. As grutas são absolutamente incríveis. Leia mais.

Depois da visita, antes de voltarmos ao autocarro que nos levaria ao comboio, pude beber um côco fresco. Em poucos minutos estávamos rodeados de vendedores que não nos largavam, a tentar vender colares e pedras. Acabei por ficar-me só pelo côco, para me hidratar. Já era hora de almoço e o calor começava a apertar, quando voltámos para o comboio. Almoçámos a bordo e tivemos a tarde livre para aproveitar a vista ou descansar, ou ir apara o Spa por exemplo.

Comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Fotografia com grupo nas Grutas Ellora – Comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Caves Ellora - Aurangabad - Índia © Viaje Comigo

Caves Ellora – Aurangabad – Índia © Viaje Comigo

Caves Ellora - Aurangabad - Índia © Viaje Comigo

Caves Ellora – Aurangabad – Índia © Viaje Comigo

QUARTO DIA: GRUTAS AJANTA

Depois de 272 Km de viagem, durante toda a tarde anterior e noite, chegamos à estação de Jalgaon ao início da manhã. Se, até aqui, tínhamos bons transportes, o autocarro que leva os visitantes às Grutas Ajanta é decrépito e que parece que se vai partir todo no caminho de terra. Talvez por isso mesmo esteja assim desgastado… Mas, não se preocupe, a viagem é curta.

As grutas Ajanta são 30 rochas escavadas, transformadas em incríveis templos, que terão tido os trabalhos efetuados entre o século II a.C. e IV d.C. Mais um local indiano que é Património da UNESCO e que não é tão conhecido pelos turistas estrangeiros. Leia mais.

Depois da visita da manhã, o almoço é feito no comboio pois temos uma grande viagem pela frente. Daqui até Kolhapur – a próxima paragem – são 742 Km (!) de paisagens do interior indiano para admirar.

Receção em Kolhapur -Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Kolhapur -Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Grutas Ajanta - Aurangabad - Maharashtra - India © Viaje Comigo

Grutas Ajanta – Aurangabad – Maharashtra – India © Viaje Comigo

Grutas Ajanta - Aurangabad - Maharashtra - India © Viaje Comigo

Grutas Ajanta – Aurangabad – Maharashtra – India © Viaje Comigo

Grutas Ajanta - Aurangabad - Maharashtra - India © Viaje Comigo

Grutas Ajanta – Aurangabad – Maharashtra – India © Viaje Comigo

QUINTO DIA: KOLHAPUR

Chegamos a Kolhapur! Passamos uma manhã mais tranquila e nem precisámos de nos levantar tão cedo. Só saímos do comboio depois de almoço. No exterior, na estação, há música à nossa espera e mais ainda: colocam a todos os passageiros, o “pheta“, um turbante que é dado a pessoas “respeitáveis”. Ficamos a ser a maior atração da cidade e toda a gente quer tirar fotografias connosco.

Partimos então – um grupo enorme com turbantes laranja – para um programa em cheio: visitar o Novo Palácio Museu e o Museu da Câmara Municipal. Vamos depois ver como são feitas as Kolhapuri chappals, as sandálias tradicionais, paramos na  hora do chá para assistirmos a uma apresentação do folclore local, Lavanya Sandhya.

Voltamos ao centro de Kolhapur, para conhecremos um templo Mahalakshmi, com 1300 anos, e assistirmos a um espetáculo de artes marciais chamado “MardaniKhel”, que traduzido literalmente significa jogos masculinos. Pode ler sobre o programa deste dia aqui. No final do dia, regressamos ao comboio, para jantar e descansar, enquanto fazemos a viagem para Goa. São 352 quilómetros de viagem pela noite fora.

Foto em Kolhapur, a usar o pheta - Foto © Incredible India

Foto em Kolhapur, a usar o pheta – Foto © Incredible India

Foto em Kolhapur, a usar o pheta - Foto © Incredible India

Foto em Kolhapur, a usar o pheta – Foto © Incredible India

Novo Palacio Museu em Kolhapur - India © Viaje Comigo

Novo Palacio Museu em Kolhapur – India © Viaje Comigo

Sandálias Chapalls - Kolhapur - India © Viaje Comigo

Sandálias Chapalls – Kolhapur – India © Viaje Comigo

Shri Mahalakshm - Kolhapur - India © Viaje Comigo

Shri Mahalakshmi – Kolhapur – India © Viaje Comigo

Lavanya Sandhya - Kolhapur - India © Viaje Comigo

Lavanya Sandhya – Kolhapur – India © Viaje Comigo

Mardani Khel em Kolhapur - India © Viaje Comigo

Mardani Khel em Kolhapur – India © Viaje Comigo

Mardani Khel em Kolhapur - India © Viaje Comigo

Mardani Khel em Kolhapur – India © Viaje Comigo

SEXTO DIA: GOA

A rapidez com que o comboio avançava fez-me acordar. Ainda não tinham feito o despertar e eu já olhava para fora da janela a observar o verde e as palmeiras de Goa. Este foi um dia ainda mais especial para mim: era o dia do meu aniversário e eu estava em Goa, um local com um legado português muito grande.

Mal saímos do comboio, depois do pequeno-almoço, está uma banda à nossa espera e tudo o que toca me faz lembrar as marchas populares de Santo António. Pelo meio da apresentação, alguém lhes segreda algo, e desatam a tocar os parabéns, só para mim. O dia estava a começar muito bem! 😀

Goa é o mais pequeno estado da Índia, com fortes influências portuguesas, tendo sido uma colónia de Portugal até finais de 1961. O programa começa por nos levar a uma casa portuguesa, com inspiração indiana, o Palácio Deão, num trabalho de recuperação de um casal de indianos: Célia e Ruben Vasco da Gama – não é descendente do explorador com o mesmo nome, mas a família dele começou a usar o apelido e foi ficando e passando de geração em geração.

Conduzimos depois até à Sahakari Spice Farm, uma plantação de especiarias para um típico almoço de Goa. Uma refeição que tem origens hindu, inspirada por 400 anos de influência portuguesa, e com destaque para os frutos do Mar Arábico, como camarões e outros peixes. Também provámos a famosa Feni, uma aguardente potente feita de caju.

Depois da visita às plantações de especiarias, o passeio seguia para as visitas da Basílica do Bom Jesus (onde estão as relíquias de S. Francisco Xavier) e da Sé Catedral de Goa. Visitámos depois muito rapidamente Panjim e o Bairro das Fontainhas, que preserva casas construídas ao estilo português. Pode ver todo o programa em Goa, aqui.

No final do dia (em cheio) em Goa, voltámos ao comboio para jantar e descansar. Tive também direito a um bolo de aniversário (enganaram-se na primeira letra do meu nome, mas o que conta é a intenção!) e à canção de parabéns! Foi um dia de aniversário memorável!

Arrancámos e o comboio continua a sua viagem durante toda a noite. São 154 quilómetros até ao nosso último local de visita a bordo do Deccan Odyssey: Sindhudurg.

Palácio Deão - Quepem - Goa - India © Viaje Comigo

Palácio Deão – Quepem – Goa – India © Viaje Comigo

Sahakari Spice Farm - Goa ©Viaje Comigo

Especiarias na Sahakari Spice Farm – Goa ©Viaje Comigo

Goa - Índia © Viaje Comigo

Goa – Índia © Viaje Comigo

Goa- Índia © Viaje Comigo

Ponte do comboio – Goa- Índia © Viaje Comigo

Rua de Ourém - Goa - India © Viaje Comigo

Rua de Ourém – Goa – India © Viaje Comigo

Reliquias de S. Francisco Xavier - Basílica do Bom Jesus, Goa, Índia © Viaje Comigo

Reliquias de S. Francisco Xavier – Basílica do Bom Jesus, Goa, Índia © Viaje Comigo

Deccan Odyssey- India © Viaje Comigo

Enganaram-se na primeira letra, mas tive direito a bolo – Deccan Odyssey- India © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Sindhudurg -Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

SETIMO DIA: SINDHUDURG

Acordamos bem cedo para as várias visitas que tínhamos de fazer em Sindhudurg: fomos conhecer a tradição ancestral das marionetas, na vila Pinguli, e tivemos o prazer de conhecer – e almoçar com – uma família real no palácio Sawantwadi, datado do século XVIII. Aqui, assistimos a demonstrações de várias artes tradicionais, desde o trabalho do barro, à pintura, um momento de culinária e até danças e cantares regionais (onde pude participar e dançar com elas). Leia mais aqui sobre o programa em Sindhudurg.

 

Menina com marioneta em Pinguli - Sindhudurg - India © Viaje Comigo

Menina com marioneta em Pinguli – Sindhudurg – India © Viaje Comigo

Marionetas em Pinguli - Sindhudurg - India © Viaje Comigo

Marionetas em Pinguli – Sindhudurg – India © Viaje Comigo

Palácio Sawantwadi - Sindhudurg - India © Viaje Comigo

Princesa com artesão – Palácio Sawantwadi – Sindhudurg – India © Viaje Comigo

Palácio Sawantwadi - Sindhudurg - India © Viaje Comigo

Jogo de cartas – Palácio Sawantwadi – Sindhudurg – India © Viaje Comigo

Palácio Sawantwadi - Sindhudurg - India © Viaje Comigo

Almoço no Palácio Sawantwadi – Sindhudurg – India © Viaje Comigo

A meio da tarde, deixamos Sindhudurg e voltámos para o comboio já que temos uma grande viagem pela frente. Para nós, será a última viagem no Deccan Odyssey e é feita em direção a Bombaim: são 592 quilómetros e a noite a bordo vai ser animada! É a Bollywood Night com uma festa antes do jantar!

A organização do Deccan Odyssey deixou em todos os quartos, em cima da cama, roupas tradicionais indianas: saris para as senhoras e calça e túnica para os homens. Oferta para todos os passageiros! E eu fiquei muito contente com a cor que me calhou, um sari azulão, com pormenores dourados, tal como eu gosto.

Ao final da tarde, uma das funcionárias do comboio veio ao quarto das senhoras ajudar a vestir o sari. Não é, de facto, nada fácil, principalmente a parte das pregas do tecido que fica preso no ombro. Vestidos que estamos… vamos para a festa e todos os hóspedes dançam na carruagem do bar, com alguns funcionários a acompanharem-nos. Não podia terminar melhor esta viagem!

Depois da festa, há que jantar. Estamos nos restaurantes todos vestidos a preceito e, nesse momento, parece até que fazemos uma viagem ao passado. Chegou a hora de descansar… no dia seguinte, de manhã bem cedo, chegaremos a Bombaim.

Noite de Bollywood - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Noite de Bollywood – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Noite de Bollywood - comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Noite de Bollywood – comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

A chegar a Bombaim - vista do comboio Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

A chegar a Bombaim – vista do comboio Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Despedida de todo o pessoa do Deccan Odyssey - Foto: The Great Indian Bog Train

Despedida de todo o pessoa do Deccan Odyssey – Foto: The Great Indian Bog Train

OITAVO DIA: REGRESSO A BOMBAIM

Acordei sem o “despertar” e, ao olhar pela janela, percebi de imediato que estávamos a chegar a Bombaim. Há cada vez mais gente nas estações onde parámos e também muito mais lixo em redor do carris. É assim que se nota que estamos a chegar a uma grande cidade. Uma cidade que tem mais gente do que Portugal inteiro: o centro tem 12 milhões de habitantes e com a periferia (área metropolitana) chega aos 20 milhões.

Depois do pequeno-almoço, desembarcamos na estação de comboios de Bombaim, a Chhatrapati Shivaji e despedimo-nos de todos os funcionários do comboio, com um sincero agradecimento por todo o profissionalismo e dedicação. A sério que já passou uma semana?!? Há uma certa tristeza ao abandonar o comboio que foi nossa casa durante uma semana. E que semana foi esta!! A conhecer estes locais fantásticos e poucos conhecidos da Índia! Não é uma viagem comum, e não é acessível a todas as pessoas, mas quem tiver a possibilidade não hesite: fazer um programa a bordo do Deccan Odyssey será uma das melhores viagens da sua vida.

Fiz depois alguns tours em Bombaim com a Trinity Tours.

Preços para o Deccan Odyssey: quarto single: 6 mil dólares; quarto duplo: 8.750 dólares; suite presidencial: 13 mil dólares (aqui poderá ter uma criança a dormir no sofá, ou seja, três pessoas e o valor é o mesmo). Está tudo incluído nestes preços, incluindo todas as refeições e os tours diários. Mais informações aqui – o comboio tem também outros programas por outras regiões da Índia.

Mais textos sobre a Índia no Viaje Comigo

Victoria Terminal - Bombaim - Índia © Viaje Comigo

Victoria Terminal – Bombaim – Índia © Viaje Comigo

Comboios e Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Comboios e Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Receção em Nashik - Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Receção em Nashik – Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comboio Deccan Odyssey - Índia © The Great India Blog Train

Comboio Deccan Odyssey – Índia © The Great India Blog Train

Comboio Deccan Odyssey - Índia © The Great India Blog Train

Foto com grupo em Kolhapur – Comboio Deccan Odyssey – Índia © The Great India Blog Train

Grupo no comboio Deccan Odyssey - Índia © The Great India Blog Train

Grupo no comboio Deccan Odyssey – Índia © The Great India Blog Train

Deccan Odyssey - Índia © The Great India Blog Train

Locomotiva do Deccan Odyssey – Índia © The Great India Blog Train

No Deccan Odyssey - Índia © Viaje Comigo

Vista da porta do Deccan Odyssey – Índia © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo

Partilhe esta página