Sala para crianças no MSC Magnifica © Viaje Comigo
Publicado em Março 25, 2020

Pais dão dicas: como “sobreviver” à quarentena com os miúdos em casa

Covid-19

Fui perguntar aos meus amigos que são pais como estão a conseguir “sobreviver” à quarentena com os miúdos. É impossível não rir com os memes que vão sendo espalhados pela internet sobre a questão de pais e filhos estarem fechados em casa, 24 sobre 24 horas… e, além de tudo o mais, os pais terem de entreter os miúdos e pô-los a estudar. Entre os memes que mais me fizeram rir estão “se a quarentena não acabar, os pais vão encontrar uma vacina antes dos cientistas” e “o que quer que os professores e funcionários das escolas dos meus filhos ganhem… é muito pouco”. Se não brincarmos e rirmos é, de facto, mais difícil levar em frente estes dias tão difíceis para todos.

Os tempos que atravessámos são muito exigentes e, com a interrupção das aulas, os pais tiveram de assumir as rédeas da situação. Além de colocarem os mais novos a estudar também têm de os distrair… uma tarefa igualmente hercúlea e sem tempo para descanso. Assim, coloco aqui algumas atividades que podem fazer com os miúdos (os adolescentes já se entretêm mais sozinhos, não é?) e algumas dicas de pais que são meus amigos – deixem também as vossas dicas nos comentários. Vou acrescentando atividades todos os dias, ok?

Club Med a partir de casa DR

Club Med a partir de casa DR

O Museu do Oriente partilha com as famílias várias sugestões de actividades, leituras e histórias das suas colecções.

Para esta semana, a primeira sugestão é um jogo em família: Tangram, indicado para todas as idades e sem limite de participantes. Com origens que remontam à China da dinastia Ming (século I a.C.), o Tangram é um jogo estilo ‘quebra-cabeças’ que desafia à construção plana de figuras, com regras simples e várias possibilidades. É composto por sete peças, dividas em três formas geométricas, que podem ser conjugadas para criar uma infinidade de figuras, animais e objectos.

As regras são simples: todas as sete peças devem ser usadas na composição de uma figura, sem se sobreporem. Basta reunir a família e… mãos-à-obra! Modelos e sugestões de figuras estão disponíveis online aqui e aqui.

O Contador de Histórias do Museu do FC Porto mantém as histórias online – podem por os mais novos a ver aqui.

Com a impossibilidade de as famílias fazerem viagens, o Club Med leva atividades para as famílias. Modelar com pasta de sal, desenhos para imprimir e colorir, ideias para cozinhar juntos e dança com a playlist do Club Med. Podem ver as ideias aqui.

Club Med a partir de casa DR

Club Med a partir de casa DR

SUGESTÕES DE PAIS

Susana, mãe de três com 5, 8 e 13 anos
Durante a semana acordamos por volta das 8h. Tomamos o pequeno-almoço juntos. Quando está bom tempo vão brincar para o pequeno pátio que temo,s durante cerca de uma hora, para apanharem sol. Depois o mais velho vai para o quarto fazer os trabalhos que os professores enviaram desse dia e os pequenos ficam na sala a fazer o mesmo.
Depois de almoço, jogamos um jogo juntos, seja de tabuleiro, seja de playstation. Quem tem de trabalhar, não participa.
Lanchamos todos juntos.
A seguir ao lanche as crianças ficam a ver desenhos animados e os grandes terminam os seus trabalhos.
Após o jantar lê-se as histórias antes de ir para a cama como de costume. O mais velho e o do meio lêem o seu próprio livro.
Ao fim de semana, acordámos mais tarde, não se fazem trabalhos. Ao longo do dia vemos um filme, jogamos, fazemos karaoke ou esquemas de dança. Tentamos sempre diversificar ao máximo.

Manuela, mãe de dois Adolescentes de 16 e 14 anos
O que fazem:
Passear o cão, ajudar em algumas tarefas domésticas, aprender a cozinhar, jogos de tabuleiro (os meus gostam de xadrez) e, claro, jogar on-line com os amigos.

Rita tem três filhos, de 8 e 10 anos
– Exercício matinal. Há varios vídeos no YouTube
– Seguir o horário escolar
– Ouvir as sugestões dos miúdos e planear em conformidade

A Maria tem dois pequenos, um de 2 e outro de 5 anos
– Ir à janela ver os pássaros, contá-los, distinguir espécies, desenhar e/ou fotografar[
– Trabalho de cardio kids e ginástica (video no YouTube)
Ver e escutar uma história (aqui)

Ana tem uma menina de 7 anos
Esquema para tentar manter uma rotina e uma lista de ideias que fizemos juntas:
– De manhã faz os deveres
– Criámos uma lista de diversões que inclui spa, sessão de maquilhagem e manicure, sessão de cinema com pipocas, tratar das plantas, organizar a despensa, pintar a varanda, fazer bolos, danças do tik tok, fazer exercício, pintar, limpar o pó, fazer colagens e recortes, jogar jogos, arrumar o quarto, etc

A Andreia tem um menino de 8 anos
Como continuo a trabalhar em casa e agora mais em videochamada… então houve a necessidade de criarmos um horário de trabalho para que tudo funcionasse… menos mal.
O meu filho tem 8 anos e anda no 3º ano. Então mantivémos o horário de levantar e tomar o pequeno-almoço igual ao de tempo de aulas. Ele tem 1h por dia de cada disciplina (português, matemática, estudo do meio, inglês, expressões), normalmente faz uma ficha ou 2 por disciplina.
Tem ainda 1 h destinada a tecnologias (telemóvel/tablet/netflix).
3 vezes por semana treino (tem um plano de treinos fornecido pelo clube) e o resto do tempo é brincar…
É obvio que tem muito mais tempo livre… acaba de fazer uma ficha e vai brincar, depois volta… Mas acho que a melhor forma para não se saturarem e correr bem é todos termos rotinas bem definidas.

Paula tem uma filha de 16 anos
Dançamos, fazemos jogos, ensino-a a cozinhar, organizamos gavetas e o quarto…
– Há o quarto para arrumar todos os dias.
– Já fizemos um dia de Spa.
E tem as aulas por vídeo chamada, e trabalhos que tem que entregar. Ela prefere estudar sozinha e quando tem alguma dúvida
E ver séries, muitas… juntas.

A Manuela tem uma rapariga e um rapaz, de 15 e 19 anos
O que fazem durante o dia:
– Usam o Zoom – para as aulas
– House Party – usam para falar com os amigos e fazer jogos online
– Planear o dia, fazendo um horário para refeições, estudar, laser, fazer exercício, divisão de tarefas da casa… por exemplo, há um dia da semana que um deles é responsável pelas refeições.
– Jogos de tabuleiro em família

A Paula tem duas meninas, de 14 e 16 anos
No dia a dia tento dar-lhes mais responsabilidades domésticas (mudarem roupa da sua cama, limparem o seu quarto – além de o manterem arrumado como já era costume -,…)
– ver filmes todos juntos mais vezes, além de assistirmos a noticiários de referência para não se limitarem só ao que se diz nas redes sociais.
– em relação à escola, apenas seguirem com responsabilidade as orientações dos professores. Elas são autónomas e responsáveis qb. Com mais brio ou com mais preguiça, vão fazendo o que se lhes pede.

Helena tem uma menina e um menino de 4 e 6 anos
– durante a semana tentar imitar o horário do Colégio:
Hora para começar, hora do lanche, almoço, intervalo.
Depois das 16h é para brincar e fazer todos os dias circuitos e ginástica (músicas no Youtube).
A mais nova que não tem tpc’s, apenas umas orientações de actividades que nem sempre são exequíveis (falta de tempo, material, jeito ou… pachorra) faz fichas que eu imprimo do Pinterest. Até lhe atribuo notas! Muito importante: impressora, tinteiros e folhas.
– Deitá-los cedo

A Patrícia tem 4 filhos: 3 com 8 e uma com 18
Tem sido um desafio pois estamos todos em casa.
– Fizemos horários.
Para conseguir manter algumas rotinas e a dica que dou muito importante é tentar criar novas rotinas o mais parecidas com o que havia antes, mas adaptadas.

Fizemos um horário para aulas e essa tarefa ficou dividida pelos três adultos.
A mãe da aulas de português, pai de matemática, a irmã mais velha de inglês e estudo do meio.
Temos ginástica para elas, música e artes plásticas.

Eu também introduzi aulas de culinária que aproveito e dou na hora de almoço.
Para as entreter com algo extra, que não seja curricular, elas têm lido livros, aprenderam jogos de tabuleiro como damas, jogam cartas, etc.

– Também participam nas tarefas domésticas.
Na verdade ainda não se queixaram da falta de aulas ou de animação.
Já os adultos tem sido mais difícil. Muito mais!
Mas, o que noto aqui em casa, as minhas estão amar ter a mãe e o pai sempre em casa. Ah… e falam face time e WhatsApp com os amigos e tem algumas aulas virtuais de algumas matérias.
O resto do tempo o Lucas neto trata do assunto! Também jogam PlayStation, mas muito menos do que antes… Têm mesmo mais coisas pra fazer…
E também lanço desafios e enigmas:
– Quem inventou o chocolate? Ou o que quer dizer a expressão “há males que vêm por bem”. E cada uma pesquisa onde quiser, nos livros, na internet, etc. E à noite têm de saber a resposta.
Já estamos em quarentena voluntária desde o dia 11 de março, já passamos dois fins de semana em casa. No fim de semana, não há aulas, são mais jogos e pinturas, ler livros e ver filmes: fazemos pipocas e metemos tudo escuro.
Vamos inventado coisas para animar
Uma dica importante:
Acordam , tomam banho, vestem-se , penteiam-se e estão direitinhas em casa. Nada de pijamas nem nada. Uma rotina que acho importante tanto para a criançada e adultos.

BRINCADEIRAS DA MATEL

A Mattel, marca internacional de entretenimento infantil, preparou com a ajuda de Vera Ribeiro da Cunha, Psicóloga Educacional, um conjunto de 10 conselhos que ajudam a coordenar o teletrabalho com o entretenimento e aprendizagem infantil em casa. Com o encerramento das escolas e a limitação de deslocação com que os portugueses se deparam nos dias de hoje, o que antes era rotina tornou-se agora num verdadeiro desafio. Longe de ser um problema, o contexto atual traduz-se numa oportunidade para juntar pais e filhos numa experiência inigualável.

Os conselhos:

1- Manter a calma e a tranquilidade. Os filhos são o reflexo dos pais e absorvem tudo. É importante explicar às crianças que se está a passar por um momento singular na vida e que durante uns tempos as coisas vão ser diferentes.

2 – Elaborar um plano diário para a “sanidade mental” de todos. Os horários de trabalho dos filhos e dos pais têm de ficar bem estabelecido. Se possível, deve arranjar-se um local que sirva de escritório. Se ambos os adultos estiverem em teletrabalho, é preferível que as reuniões laborais não sejam nas mesmas alturas, para que esteja sempre alguém disponível para ajudar os filhos.

3 – Manter uma rotina. Crianças e jovens devem acordar no horário habitual, vestirem-se adequadamente e alimentarem-se de forma saudável para depois se dedicarem às tarefas escolares. O mesmo se aplica aos pais. Os ritmos biológicos devem ser mantidos e, embora o dia a dia seja passado em casa, deve trocar-se o pijama pela “roupa normal”. As rotinas trazem consigo a “certeza” do que vai acontecer, passando essa sensação de segurança às crianças.

4 – Além do plano de atividades, para simplificar deve também criar-se um plano de tarefas domésticas e de refeições. Todos devem ajudar. Assim, é possível promover as relações familiares, a interajuda e a responsabilidade de cada um. As crianças devem fazer a sua cama, colocar a roupa suja no cesto, ajudar a dobrar roupa e os mais velhos já podem ajudar mesmo na confeção das refeições. Sem saber, estão a reforçar-se laços afetivos, momentos de partilha e, de certa forma, a educar-se os filhos para serem responsáveis e autónomos.

5 – Limitar o tempo dos ecrãs. Por mais tentador que seja, demasiadas horas em frente a um ecrã são vivamente desaconselhadas.

6 – Explorar a criatividade. O momento é ideal para dar um novo destino às revistas, jornais velhos e materiais reciclados. Podem fazer-se colagens, entre outras atividades. Para procurar ideias basta aceder-se à Internet. Com isto trabalham-se as noções espaciais, matemáticas e sociais, mesmo sem saber.

7 – Recorrer também a jogos e brinquedos que promovam, simultaneamente, a diversão e a aprendizagem. Nada melhor do que um jogo de tabuleiro, cartas, jogo do galo, stop ou mímica para entreter, seja entre irmãos ou até mesmo entre a família toda. Acampar na sala, fazer um piquenique na varanda, elaborar teatros através de uma história, etc. Recorrer à fantasia e à imaginação para se passar bons momentos em família é também uma boa alternativa.

8 – Pôr o corpo a mexer. No plano referido anteriormente, é necessário não esquecer a atividade física. Tendo em conta que nem todas as famílias têm casa com jardim para as crianças correrem, é importante para a saúde manter o corpo em movimento. Pais e filhos poderão recorrer à Internet para fazer exercício em casa ou pôr música para dançarem todos juntos no meio da sala. É terapêutico.

9 – Utilizar as plataformas das redes sociais para manter as relações de amizade. Para as crianças que ainda não são autónomas e que não têm idade para terem essas aplicações, poderá fomentar-se estes laços de amizade também com os familiares. Eles agradecem.

10 – Desfrutar do tempo em recolhimento em família porque, na verdade, é um autêntico privilégio conseguir ver os filhos crescer. O ideal é dançar, cantar, rir bem alto, para que as gargalhadas contagiem os vizinhos, conversar mais, brincar mais, mimar mais, criar boas memórias nos mais pequenos.

Jogos para aprender em família

Os jogos de tabuleiro são perfeitos para desfrutar do tempo em família e, na verdade, muitas delas já contam com um baralho de cartas UNO, um jogo de Scrabble ou de Pictionary em casa.
As famílias já conhecem os jogos e todas as suas regras, por isso agora é a altura certa para dar um passo em frente, aproveitar ao máximo a aprendizagem e rever diversas matérias nestes desafios divertidos.
Com o UNO poderão brincar e aprender com os números, através de somas e multiplicações, e até mesmo com as cores, no caso das crianças mais novas. Os pais poderão propor aos filhos desafios de agilidade e rapidez para que estes descubram, o mais depressa possível, os resultados das somas ou multiplicações de diferentes cartas. Poderão também, transpondo o cenário para as letras, desafiá-los a criarem palavras ou expressões com o Scrabble, ou até mesmo estimular a sua criatividade e psicomotricidade com o Pictionary.

Jogos para crianças e bebés até aos 3 anos

Para os mais pequenos, qualquer jogo é uma nova descoberta. É o momento ideal para continuar a trabalhar as suas habilidades psicomotoras, aprendendo a empilhar e construir com os Mega Bloks. Além de construir podem também destruir as suas obras de arte, o que acaba por ser igualmente divertido.
Quando os pais brincam com os seus filhos, ajudam-nos a desenvolver a sua criatividade, coordenação, destreza e capacidade de resolução de problemas. E se para isso utilizarem a sua mascote preferida, como o Cãozinho Aprender e Brincar da Fisher-Price, brincar pode ser ainda mais divertido. Este é o momento para voltar a ser criança.

Brinquedos para crianças entre os 3 e os 7 anos

Brincar com bonecas e bonecos prepara as crianças para o futuro, uma vez que estimula a sua imaginação, autoexpressão e criatividade. Onde um adulto vê uma casa ou um carro de brincar, uma criança vê diversas coisas e um sem número de histórias maravilhosas para contar. A quantidade de histórias que podem ser criadas em torno de bonecas como a Barbie, Enchantimals ou Cloudees são praticamente infinitas.
Construir pistas, fazer corridas e desfrutar dos choques entre dois ou mais carros é divertido para as crianças, mas também para os adultos. Com carros, pistas e acrobacias, as crianças podem experimentar, desenvolver habilidades para a resolução de problemas e estimular a sua criatividade e imaginação. A Hot Wheels também desperta e incentiva o espírito de desafio e competição saudável nas crianças, de forma a alcançarem sempre o seu potencial máximo.

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo