Madalena Vidigal na Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas Madalena Vidigal do blog Entre Vinhas na Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas
Publicado em Dezembro 26, 2019

10 Enoturismos a visitar em 2020, Portugal

Notícias/ Portugal

No início de um novo ano, existe sempre um planeamento do que vamos fazer… e do que vamos visitar! Sendo Portugal um país de vinhos e com uma aposta cada vez maior no enoturismo, pedi à Madalena Vidigal – uma especialista nesta área dos vinhos e autora do blogue Entre Vinhas– para sugerir, aos leitores do Viaje Comigo, os 10 enoturismos que temos mesmo de visitar em 2020. E aqui estão as suas sugestões!

De norte a sul do país – e ilhas – há cada vez mais quintas e adegas a abrir as suas portas a quem quiser visitar! Provas de vinhos, passeios pelas vinhas, almoços vínicos ou dormir no meio do campo, são apenas algumas das muitas actividades que pode fazer nos enoturismos abaixo sugeridos! Só me resta desejar-vos bons passeios, boas visitas e… boas provas!

Madalena Vidigal do blog Entre Vinhas no Douro © Entre Vinhas

Madalena Vidigal do blog Entre Vinhas no Douro © Entre Vinhas

1. QUINTA DE LOUROSA, Vinhos Verdes

Na Quinta de Lourosa a experiência de enoturismo é muito familiar. Pai e filha estão juntos na produção de vinho e na gestão deste turismo rural em plena região dos Vinhos Verdes. No centro dos 27 hectares de vinha, está a casa principal. Aqui, cada quarto tem o nome de uma casta da região, todos decorados de forma muito caseira e acolhedora. De manhã, o pequeno-almoço é servido à mesa da sala de jantar.
Nos dias mais quentes, é de aproveitar a piscina mesmo em frente às verdes vinhas que rodeiam a casa. Entre um mergulho e outro, podem fazer uma visita à adega e provar os vinhos Quinta de Lourosa ou fazer um picnic no jardim com petiscos regionais.

Quinta de Lourosa, Vinhos Verdes © Entre Vinhas

Quinta de Lourosa, Vinhos Verdes © Entre Vinhas

2. QUINTA DO PÔPA, Douro

O avô Pôpa sonhou e os netos deram asas a este tão desejado projeto de vinhos no Douro! Foi em Tabuaço que tudo começou, com uma produção de vinho caseira e sem pretensões. Mas o projeto cresceu e, em 2010, os irmãos Vanessa e Stephane transformaram a Quinta do Pôpa num dos mais recentes casos de sucesso na região!
Uma visita à quinta inclui passagem pela adega, casa de barricas, sala-museu, “biblioteca” de vinhos e pode terminar com um picnic – um cesto de verga recheado de chouriço, bola de carnes, azeite, pão, queijo e muito mais! – no relvado, com uma magnifica vista para o rio Douro.

Quinta do Pôpa, Douro © Entre Vinhas

Quinta do Pôpa, Douro © Entre Vinhas

Quinta do Pôpa, Douro © Entre Vinhas

Quinta do Pôpa, Douro © Entre Vinhas

3. QUINTA DO ENCONTRO, Bairrada

Tudo nesta adega bairradina nos faz lembrar o vinho. Desde a estrutura do edifício inspirado nas barricas de madeira até ao seu interior, com corredores em espiral tal como um saca-rolhas, e até à lareira na sala central em forma de garrafa de vinho.
No piso superior da Quinta do Encontro – e com uma excelente vista para as vinhas que rodeiam a adega – há um restaurante. Aqui, a comida vem servida de forma moderna e sofisticada, dando sempre primazia aos produtos locais. Todos os pratos são pensados para harmonizar, na perfeição, com os diversos vinhos e espumantes Quinta do Encontro.

Quinta do Encontro, Bairrada © Entre Vinhas

Quinta do Encontro, Bairrada © Entre Vinhas

4. MADRE DE ÁGUA, Dão

Uma amante de cães que já não tinha onde albergar mais animais abandonados na sua casa em Lisboa… é assim o começo da história da Madre de Água. Lurdes voltou à cidade natal no Dão e levou com ela o maior número possível de animais. Daí até começar um projecto de vinhos foi um pequeno passo. Hoje em dia a Madre de Água, além de um excelente produtor de vinho do Dão, é também um hotel de charme com produção própria de queijo Serra da Estrela.
No restaurante, todos os pratos são estilo caseiro preparados com produtos locais. Os vinhos Madre de Água, embora recentes, são já uma referência na região.

Madre de Água, Dão © Entre Vinhas

Quinta Madre de Água, Dão © Entre Vinhas

5. QUINTA DA VARGEM, Beira Interior

Localizada a 600 metros de altitude, aos pés da Serra da Estrela, a Quinta da Vargem pertence à família Almeida Garrett desde os anos 50. Recentemente foi recuperada para enoturismo, onde têm as portas abertas para os visitantes. Dispõe de sete quartos, na casa principal, assim como uma piscina para refrescar durante os dias mais quentes. Outras actividades como trekking, jogar ténis ou apanhar cogumelos silvestres no Outono também são possíveis.
Esta quinta produz os vinhos Almeida Garrett, pelos descendentes do famoso escritor português. Estes podem ser provados nos jardins da casa, acompanhados de verdadeiros petiscos regionais.

Quinta da Vargem, Beira Interior © Entre Vinhas

Quinta da Vargem, Beira Interior © Entre Vinhas

6. QUINTA DA ALORNA, Tejo

Uma visita à Quinta da Alorna é uma lição de história e uma deliciosa experiência vínica ao mesmo tempo. Datado de 1723, o palácio já teve diversos proprietários. Leonor de Almeida Lorena e Lencastre – a lendária Marquesa de Alorna – grande benemérita e uma mulher muito à frente do seu tempo, foi um deles. Pela sua personalidade marcante, Marquesa de Alorna é nome do vinho topo de gama da quinta!
Apesar do palácio não estar aberto ao público, é possível visitar os bonitos jardins e vinhas em seu redor. Na loja da quinta, podem-se provar os vinhos da marca Alorna harmonizados com queijos, enchidos, azeite e pão entre outros produtos regionais.

Quinta da Alorna, Tejo © Entre Vinhas

Quinta da Alorna, Tejo © Entre Vinhas

7. MANZWINE, Lisboa

A pacata vila de Cheleiros nunca mais foi a mesma depois da chegada dos Manz em 2004. Com o lema “Não quero fazer muito vinho, quero é fazer bom vinho” este pequeno projecto de vinhos na região de Lisboa é um dos locais a visitar no novo ano. O lagar da aldeia e escola primária foram transformados em núcleo museológico com antigos artefactos agricolas, sala de barricas e loja.
Quanto ao vinho, algo único que a Manzwine tem é a casta Jampal. Esta variedade de uva branca estava quase extinta em Portugal quando a empresa decidiu recuperá-la e hoje orgulha-se de ser o único produtor no país a vinificar e vendê-la!

Manzwine, Lisboa © Entre Vinhas

Vinhos da Manzwine, Lisboa © Entre Vinhas

8. HERDADE DO SOBROSO, Alentejo

Sofia e Filipe são portuenses de gema mas é no Alentejo que está agora o seu coração. Mais concretamente na Herdade do Sobroso. Apesar dos mais de mil hectares de extensão, a palavra para descrever esta herdade é mesmo “sossego”.
Um dia na Herdade do Sobroso pode começar com um safari na Serra do Mendro, para ver veados e javalis, seguido de uma visita à adega com prova de vinhos e petiscos. Durante a tarde, a piscina frente às vinhas convida a um mergulho. O dia pode acabar com um dos cozinhados alentejanos da D. Josefa e adormecer numa das doze suites do turismo rural.

Madalena Vidigal na Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas

Madalena Vidigal na Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas

Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas

Herdade do Sobroso, Alentejo © Entre Vinhas

9. QUINTA DOS SANTOS, Algarve

Algarve é sinónimo de férias de Verão, praia e festa. Mas é também uma região de vinhos em crescimento e que deve ser explorada. Um bom exemplo, desse lado vínico do Algarve, é a Quinta Dos Santos. Um espaço que junta uma adega, uma cervejeira e um restaurante.
Este recente projecto algarvio está nas mãos de um jovem casal: ela americana e ele sul africano. Conquistados pelo sol do Algarve, deixaram os seus day jobs para gerir a quinta onde organizam provas de vinhos e de cervejas artesanais, no restaurante Esquina, ou na deliciosa esplanada com vista para a vinha.

Quinta dos Santos, Algarve © Entre Vinhas

Madalena Vidigal do blog Entre Vinhas na Quinta dos Santos, Algarve © Entre Vinhas

Quinta dos Santos, Algarve © Entre Vinhas

Quinta dos Santos, Algarve © Entre Vinhas

10. TERRAS DO AVÔ, Madeira

Há centenas de anos que a Madeira se tornou mundialmente famosa pelos seus vinhos fortificados. Mas, neste jardim do Atlântico, também se produzem excelentes vinhos de mesa! No norte da ilha, numa zona chamada Seixal, produz-se o vinho Terras do Avô, a Seixal Wines. Aqui, as vinhas estão rodeadas de mar e da floresta Laurissilva.
É com uma impressionante vista para o mar e para a cascata ‘Véu da Noiva’ que a família Caldeira dá a provar os seus vinhos de mesa, brancos e tintos, e um espumante, uma novidade na Madeira. Diversos petiscos caseiros acompanham a prova de vinhos, servidos no alpendre tropical frente ao mar.

Terras do Avô, Madeira © Entre Vinhas

Terras do Avô, Madeira © Entre Vinhas

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo