Mosteiro de Santa Clara-a-Nova
Publicado em Abril 20, 2015

26 Motivos para Visitar Coimbra

Centro/ Portugal [ Coimbra ]

No centro de Portugal, Coimbra é uma cidade portuguesa, banhada pelo Rio Mondego, cuja mística está intrinsecamente ligada à vida universitária desde os seus primórdios, por volta do século XIII, até aos dias de hoje. É aqui que ocorre a maior festa académica do país, a Queima das Fitas.

Universidade de Coimbra - Viaje Comigo

Universidade de Coimbra – Viaje Comigo

O seu ex-líbris é a Universidade de Coimbra, recentemente reconhecida pela UNESCO como Património Universal. Mas, não só por isso vale a pena descobrir esta cidade. Percorra as suas ruas estreitas, as ruínas romanas, as muralhas e todos os recantos repletos de histórias que esperam ser contadas. A nossa última visita a Coimbra foi guiada pela Madomis Tours, que aconselhamos. Para que possa conhecer melhor Coimbra, reunimos vários locais que pode, e deve, conhecer.

Panorâmica da cidade da Universidade de Coimbra

Panorâmica da cidade da Universidade de Coimbra

O QUE VER / VISITAR EM COIMBRA

1. Aqueduto de S. Sebastião

O Aqueduto de S. Sebastião, também conhecido por Arcos do Jardim, situa-se em frente ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra e outrora fornecia água para grande parte da cidade. A sua construção remonta ao século XVI, onde se supõe a existência anterior de um aqueduto romano, e num dos 21 arcos tem a estátua de S. Sebastião de um lado e de S. Roque do outro.

Aqueduto de S. Sebastião, Coimbra

Aqueduto de S. Sebastião, Coimbra

2. Arco de Almedina

O Arco de Almedina era a principal porta da muralha medieval e juntamente com a Torre de Almedina eram uma parte crucial na defesa da cidade – no topo tem uns buracos de onde lançavam o óleo a ferver sobre os invasores. Supõe-se que este Arco tenha sido edificado durante os reinados de D. Afonso III e D. Dinis, contudo, a sua estética atual é atribuída a uma reforma no início do século XVI, a mando de D. Manuel I.

Arco de Almedina, Coimbra - Viaje Comigo

Arco de Almedina, Coimbra – Viaje Comigo

Arco e Porta de Barbacã em Coimbra

Coimbra

3. Carmelo de Santa Teresa

O Carmelo, sito próximo do Penedo da Saudade, foi construído para as irmãs Carmelitas, no século XVIII e tem vindo a tornar-se um ponto inquestionável do turismo religioso da cidade e muito tem que ver com a permanência da Irmã Lúcia (a última vidente de Fátima) no convento, até à sua morte em 2005.
A entrada é gratuita, tem apenas que tocar à campainha para visitar o edifício.
Horário: de segunda-feira a domingo, das 09h00 às 12h00 e das 15h00 às 17h45

Edifício Chiado em Coimbra - ©Viaje Comigo

Edifício Chiado em Coimbra – ©Viaje Comigo

4. Casa Medieval

Esta antiga casa situada, nos números 4 e 6, na confluência da rua Sargento-Mor, da rua dos Gatos e Adro de Cima, é das casas mais antigas de Coimbra.
É uma casa de feição medieval, com ressaltos desnivelados em madeira nos pisos da fachada principal. As paredes são de “enxaimel” e as janelas possuem ombreiras de madeira pintada. Apresenta caraterísticas da chamada casa de sobrado (loja e habitação), que documento a arquitetura típica desta zona da Cidade, onde se concentravam os mesteres.

Casa Medieval, Coimbra - ©Viaje Comigo

Casa Medieval, Coimbra – ©Viaje Comigo

5. Colégio de Santo Agostinho

O Colégio de Santo Agostinho começou a ser erigido em 1593 e atualmente está instalado no pólo da Faculdade de Ciências e Psicologia da Universidade de Coimbra. É constituído por dois pisos e neles sobressai o claustro e a jónica, ricamente decorados com mármores e azulejos setecentistas.

6. Colégio de São Tomás

A construção do Colégio de São Tomás remete ao ano de 1543. Só em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas, abandonou os propósitos de ensino, tendo sido inclusive um armazém de madeiras.
A compra do edifício pelo Ministério da Justiça fez-se em 1928. Desde então sofreu remodelações e serve, nos dias de hoje, como Palácio da Justiça e Tribunal da Relação de Coimbra.

Centro de Coimbra - ©Viaje Comigo

Centro de Coimbra – ©Viaje Comigo

7. Conimbriga

Em Conimbriga existem evidências arqueológicas de que Coimbra foi habitada pela primeira vez entre o século IX a.C. e os séculos VII-VIII. Aqui pode visitar as muralhas da cidade, os sistemas fluviais, os banhos termais, os mosaicos e ainda um museu que compila objetos encontrados durante as escavações. Esta área foi, desde 1910, decretada como monumento nacional.

8. Fado ao Centro
Casa de Fados no centro de Coimbra. Tem programação regular com espetáculos de fado. Consulte aqui.

Fado ao Centro - Casa de Fados em Coimbra

Fado ao Centro – Casa de Fados em Coimbra

9. Fonte Nova

A Fonte Nova, também conhecida por Fonte dos Judeus desde 1137, sofreu algumas mudanças ao longo dos tempos, sendo remodelada em 1725 – ficando assim com a atual estética barroca – e a escadaria que a ladeia foi concluída em 1986.

Ruas de Coimbra - ©Viaje Comigo

Ruas de Coimbra – ©Viaje Comigo

10. Igreja da Nossa Senhora do Carmo

A génese da Igreja reporta a 1540, quando D. Frei Baltasar Limpo, bispo do Porto, mandou edificar um colégio talhado para acolher os clérigos que fossem estudar para a Universidade de Coimbra. Em 1834, com a abolição das ordens religiosas, o colégio fica desocupado e passa a pertencer à jurisdição da Comarca de Coimbra. O edifício é de estilo clássico e no seu interior sobressaem pormenores maneiristas e barrocos, azulejaria seiscentista e pinturas setecentistas.
A entrada é gratuita.

Horário de visitas: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 12h00 e das 15h00 às 18h00; fins-de-semana e feriados das 15h00 às 18h00

Quebra Costas, Coimbra - ©Viaje Comigo

Tricana, Rua Quebra-Costas em Coimbra – ©Viaje Comigo

11. Igreja de Santa Cruz – Panteão Nacional

A Igreja de Santa Cruz, ou Panteão Nacional, foi fundada em 1131 sendo D. Afonso Henriques o principal benemérito. A sua escola foi crucial nos tempos medievais e por ela passaram as elites do poder e da intelectualidade. Na Igreja residem os túmulos de D. Afonso Henriques e D. Sancho I, os primeiros reis de Portugal.
A entrada é gratuita mas para visitar a Sacristia, Sala do Capítulo, Claustro e Exposição tem o custo de 2,50€, bilhete normal.

Horário: de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00; sábados, das 09h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00; domingos, das 16h00 às 17h30

12. Igreja de São Tiago
As obras da igreja foram iniciadas antes do ano de 957 e foi reedificado nas últimas décadas do século XII, no reinado de Sancho I de Portugal. Atente nos portais principal e lateral sul, relevantes para o românico coimbrão, e o portal principal que tem quatro arquivoltas.

Igreja de São Tiago, Coimbra - ©Viaje Comigo

Igreja de São Tiago, Coimbra – ©Viaje Comigo

Além das igrejas supracitadas existem outras tantas, tais como: Igreja de Santa Justa; Igreja de Santo António dos Olivais; Igreja de São Bartolomeu; Igreja do Colégio da Graça; Igreja do Colégio de São Pedro; Igreja do Salvador.

13. Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

Foi erguido no século XVII para substituir o antigo mosteiro medieval de Santa Clara-a-Velha. É atualmente um repositório de arte portuguesa dos séculos XIV a XVIII e guarda as relíquias da Rainha Santa Isabel, fundadora do mosteiro antigo.

Rainha Santa Isabel no Mosteiro de Santa Clara a Nova

Rainha Santa Isabel no Mosteiro de Santa Clara a Nova

Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

14. Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

O Mosteiro de Santa Clara de Coimbra foi fundado em 1283 por Dona Mor Dias e entregue às freiras clarissas pouco depois, até que Dona Isabel de Aragão (Rainha Santa Isabel) se dedicou inteiramente ao mesmo, construindo novos edifícios em estilo gótico, nos quais se destacam o claustro e a igreja. Pela sua devoção, a Rainha foi canonizada e hoje em dia continua a ser uma das santas mais adoradas pelos portugueses. A festa realiza-se nos anos pares e a 4 de julho.

15. Palácio de Sub-Ripas

O Palácio de Sub-Ripas apropriou-se de uma antiga torre militar, agregada à muralha da cidade e casario anexo. É composto por dois edifícios – a Casa do Arco e a Casa da Torre – interligados por um arco, sobre a ruela. Esta obra sofreu diversas remodelações e a última, pelas mãos do arquiteto António Madeira Portugal, foi galardoada com o Prémio Europa Nostra.

Praça do Comércio em Coimbra - ©Viaje Comigo

Praça do Comércio em Coimbra – ©Viaje Comigo

16. Parque Verde do Mondego

Este parque foi criado em 2004 com o intuito de promover uma maior interação entre a cidade e o rio. A área compreende mais de 400 mil metros quadrados e tem caminhos pedonais, ciclovia, skatepark, uma zona de areia para jogar vólei de praia, pavilhões de desporto e exposições. A circulação automóvel é proibida.

17. Pátio da Inquisição

O Pátio da Inquisição representa um dos marcos mais sombrios da história de Portugal pois funcionou como Tribunal do Santo Ofício, de 1556 até 1821. Os edifícios que o compõem sofreram variadas remodelações mas na sua praça, algo se manteve imutável… uma pedra! Essa pedra servia de suporte para decapitar os judeus que se recusaram a converter ao cristianismo e outros indivíduos acusados de outros crimes, como de feitiçaria. O Pátio alberga, desde 2003, o Centro de Artes Visuais (CAV).

18. Penedo da Saudade

O Penedo da Saudade, sito num ponto alto e rochoso da cidade, é um jardim histórico cujo nome provém da tradição, que nos diz que D. Pedro costumava frequentar aquele local para chorar a perda da sua amada, Inês de Castro. A partir do século XX, os estudantes começaram a dispor pelo jardim lápides com versos, principalmente no recanto “Sala dos Cursos”. Na “Sala dos Poetas” tem bustos de célebres poetas portugueses, como de Eça de Queirós e António Nobre.

Penedo da Saudade - ©Viaje Comigo

Penedo da Saudade – ©Viaje Comigo

19. Portugal dos Pequenitos

O Portugal dos Pequenitos, fundado em 1940, é um parque lúdico e pedagógico direcionado especialmente para as crianças, mas não só. Este local é um reflexo das caraterísticas mais marcantes de Portugal, tanto cultural como arquitetonicamente. As casas em miniatura retratam a estética de diversas zonas do país e ainda de países de expressão portuguesa, como Macau e Brasil. Ainda nas premissas, pode visitar o Museu do Traje, o Museu da Marinha e o Museu da Barbie.
Para mais detalhes sobre os preços de entrada

Horário:
– 1 de janeiro a 28729 de fevereiro e de 16 de outubro a 31 de dezembro, das 10h00 às 17h00
– 1 de março a 31 de maio e de 16 de setembro a 15 de outubro, das 10h00 às 19h00
– 1 de junho a 15 de setembro, das 09h00 às 20h00

Portugal dos Pequenitos, Coimbra - ©Viaje Comigo

Portugal dos Pequenitos, Coimbra – ©Viaje Comigo

20. Quinta das Lágrimas

Este jardim conta, nos seus recantos, a fatídica história de amor entre D. Pedro e Inês de Castro – história esta que inspirou diversas artes como a literatura, música e poesia. Para conhecer melhor a Quinta das Lágrimas deve explorar as ruínas neolíticas, o palácio do século XIX e a afamada Fonte das Lágrimas, na qual Inês de Castro foi executada. O Viaje Comigo também esteve lá e conta tudo sobre a Quinta das Lágrimas.

Fonte dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Quinta das Lágrimas, Coimbra

21. Sé Nova

A Sé começou a ser construída em 1598, sob a ordem do bispo Dom Afonso Castelo Branco, mas as obras só findaram em 1640. O monumento fazia parte do Colégio da Companhia de Jesus até à sua dissolução em 1759.
Vale a pena visitar pela mescla de épocas e estilos, visíveis nos detalhes do monumento.

Vista para a Sé Nova de Coimbra

Vista para a Sé Nova de Coimbra

22. Sé Velha

A Sé Velha é um dos marcos do estilo românico mais importantes de Portugal. Supõe-se que os primórdios da sua fundação remontem ao século IX, todavia, a construção do edifício atual começou em 1146, após D. Afonso Henriques se ter declarado rei de Portugal e de ter escolhido Coimbra como capital do Reino.
Na Sé está a sepultura de D. Sesnando, Conde de Coimbra.

Sé Velha de Coimbra - ©Viaje Comigo

Sé Velha de Coimbra – ©Viaje Comigo

23. Seminário Maior

A construção do edificio teve início em 1748 e, dos cinco elementos que compõem a fachada, é o corpo central que corresponde à igreja original. A ladear o monumento estão belíssimos jardins barrocos do século XX.

24. Torre de Almedina

A génese desta Torre, edificada sobre o Arco de Almedina, está ligada à função militar pois tinha como função vigiar e defender a principal porta de acesso ao interior da muralha. O seu nome, diz-se, provém do árabe aquando a ocupação da cidade pelos mesmos.

Artesanato em Coimbra

Artesanato em Coimbra

25. Torre de Anto

A Torre do Prior do Ameal, de origem medieval, integrava a antiga cerca de Coimbra e tinha funções militares. Atualmente, é conhecida por Torre de Anto pois nela habitou o poeta António Nobre, nos finais do século XIX.

26. Universidade de Coimbra

A universidade mais antiga de Portugal, criada no século XIII, foi recentemente consagrada Património Universal da Unesco, incluindo Alta e Sofia. É um marco a visitar não só pela sua imponente arquitetura mas também pela biblioteca joanina e pela sua área circundante. A Universidade tem visitas guiadas para melhor conhecer o ex-líbris da cidade.

Sala dos exames - Universidade de Coimbra

Sala dos Capelos – Universidade de Coimbra

HISTÓRIA DE COIMBRA

Os resquícios arqueológicos são escassos mas em algumas zonas da cidade, como em Conimbriga, indicam que Coimbra foi habitada entre o século IX a.C. e os séculos VII-VIII. Do período romano sobreviveu um criptopórtico, atualmente instalado no Museu Nacional de Machado de Castro.

Após o declínio do Império Romano, novos invasores entram na cidade, como os Vândalos, Suevos, Visigodos, etc – popularmente catalogados como bárbaros – e deixaram as suas marcas. Os invasores seguintes foram os muçulmanos, que se apoderaram da área por mais de três séculos.

Inúmeros embates ocorreram, até que em 1064 as tropas cristãs de Fernando Magno conquistaram terreno, dividindo a zona entre o sul islâmico e o norte cristão. Como consequência, fixou-se uma importante comunidade moçárabe – termo aplicado aos cristãos ibéricos que viviam sob jurisdição islâmica e que acabavam por se arabizar.

Painéis de Azulejos em Coimbra - ©Viaje Comigo

Painéis de Azulejos em Coimbra – ©Viaje Comigo

Coimbra foi a primeira capital do reino durante quase dois séculos e quando perdeu essa designação já se destacava pela sua vocação académica através da Universidade de Coimbra e de inúmeros colégios, sitos predominantemente junto ao Paço Real (Alta) e na Rua da Sofia (Baixa).

Com o decorrer do século XIX, a cidade conheceu um substancial aumento populacional que levou ao aparecimento de novos arruamentos, bairros e zonas residenciais.
Na década de 90, a cidade estendeu-se para outras zonas e mais dois pólos foram construídos.

Hoje em dia, Coimbra é uma cidade vital não só pela rica histórica académica mas por ser um local em que a tradição se mantém, vivendo lado a lado com a modernidade.

Vista para o Portugal dos Pequenitos e para rio Mondego

Vista para o Portugal dos Pequenitos e para rio Mondego

ONDE COMER

Para lanchar pode ir até ao tradicional Café Nicola (na rua Ferreira Borges, 35) onde pode provar os doces típicos de Coimbra – como os pastéis de Santa Clara, as queijadas de Coimbra ou Manjar Branco – ou ainda os pastéis de Tentúgal que estão sempre a sair frescos.

Numa rua estreita do centro de Coimbra, mais precisamente no Beco do Forno, nº 12, está o Zé Manel dos Ossos. Não aceita reservas e tem sempre fila à porta. É muito conhecido pelo seus saborosos e picantes ossos.

Nicola na Baixa de Coimbra

Café Nicola – Coimbra

Pastéis de Tentúgal - ©Viaje Comigo

Pastéis de Tentúgal – ©Viaje Comigo

O Praxis é cervejaria, casa de bifes e também serve mariscos. É dos poucos locais que tem produção própria da sua cerveja com o nome… Praxis.

O Restaurante Arcadas faz parte do Hotel da Quinta das Lágrimas e reinventa de forma criativa a cozinha tradicional portuguesa.

Cervejaria Praxis - Coimbra ©Viaje Comigo

Cervejaria Praxis – Coimbra ©Viaje Comigo

ONDE DORMIR

Hotel da Quinta das Lágrimas é um requintado espaço, na Quinta das Lágrimas, e o palácio que lá existe é um hotel de quatro estrelas. É, aliás, composto por três edifícios, que são de três séculos diferentes.

Procure outros alojamentos em Coimbra clicando aqui.

Textos: Rafaela Santiago

Quarto da Rainha, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Quarto da Rainha Santa Isabel, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Rua do Quebra Costas - ©Viaje Comigo

Rua Quebra-Costas em Coimbra- ©Viaje Comigo

Miradouro do Vale do Inferno - ©Viaje Comigo

Miradouro do Vale do Inferno – ©Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo