Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo
Publicado em Junho 20, 2022

Visitar a Ilha de Gorée, Senegal

África/ Senegal [ Dakar ]

No Senegal, frente à capital Dakar, a Ilha de Gorée (ou Ilha de Goreia) é um dos locais que merece uma visita de quase um dia, ou poderá fazer num dos tours. Pode apanhar o ferry*, a partir do cais de Dakar e, em poucos minutos, vai desembarcar na ilha com coloridas fachadas de edifícios. Esta é uma pequena ilha com uma grande História.

Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

A escravatura foi um mal que sempre existiu na História da humanidade e África é um dos locais que mais sofreu (senão o que mais sofreu!) com essa dura realidade. Visitar a Ilha de Gorée é relembrar esse passado, já que este era dos maiores entrepostos de escravos entre os séculos XV e XIX, fundado pelos portugueses. Atualmente, e desde 1978, é Património Mundial da Humanidade.

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Esta ilha localiza-se ao largo da costa do Senegal, em frente a Dakar. A sua arquitetura é constituída pelo contraste entre as frugais casernas dos escravos e as grandes mansões dos seus mercadores. Vai-se de ferry boat, a partir do cais de Dakar*.

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

São cerca de 1500 as pessoas que vivem permanentemente na ilha de Gorée e esta é uma ilha muito visitada, tanto por turistas, como por crianças de escolas. As visitas de estudo a esta ilha que é Património da UNESCO servem para os mais novos terem contacto com a sua História e a escravatura.

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

O Museu dos Escravos é possível ver as celas onde eram distribuídos, como os mais fortes, mais saudáveis – que eram os escravos mais caros – as mulheres ficavam numa outra parte. Quem se tentava rebelar e soltar era mais preso, correntes de ferro, em locais diminutos e sem condições mínimas. Todos sabemos estas histórias, mas estar neste espaço, tocar nestas paredes e perceber a realidade – não tão longínqua – destas pessoas, faz-me ficar triste… e revoltada. Vêm-me as lágrimas aos olhos por diversas vezes, sobretudo por pensar que ainda existe muita escravatura no mundo atual.

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

No caso das mulheres a sua beleza podia ser um fator decisivo na vida: as “mais bonitas” eram moeda de troca com negociantes, que ficavam aqui a viver. Casavam com eles e oss descendentes tinham um nível mais alto do que os escravos normais.

O valor das crianças era visto pelos dentes, conta-nos o guia. Eram também separados das mães e assim se fez, durante décadas e séculos, separando famílias africanas para se promover a escravatura, levando-os daqui para as Américas.

Casa e Museu dos Escravos - Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa e Museu dos Escravos – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Os doentes e os que acabavam por morrer aqui eram atirados ao mar, que fica mesmo nas traseiras desta casa dos horrores. A quantidade de cadáveres era tanta que está registada numa documentação de época, dizendo que chamavam os tubarões e que “os mortos ficavam entre duas águas a flutuar”. Quando entravam num corredor que vai dar direto ao mar era um caminho sem retorno à vida.

Depois desta visita e de visitar também a Igreja de São Carlos, passar no Museu Histórico e no forte com outras exposições. São muitas as lojinhas de artesanato que vai encontrar pela ilha e, além dessas, os vendedores vêm com cestas atrás dos turistas para vender. Alguns deles, ainda dentro do ferry, começam a falar e depois quase nos “perseguem” para que lhes compremos a eles.

Igreja S. Carlos - Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos – Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos - Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos – Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos - Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos – Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos - Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos – Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos - Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Igreja S. Carlos – Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Paramos para um almoço muito simples, mas agradável, no Ann’Sabran, um Restaurante de frente ao mar para o mar. Comemos uma espetada de peixe e arroz – finalmente peixe que não estava cozinhado demais! – camarões de entradas e manga deliciosa para a sobremesa.

Almoço na Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Almoço na Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Almoço na Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Almoço na Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Escrevi no instagram, na altura da visita:

Ficarmos de frente a frente com a escravatura é doloroso. A nós, portugueses, deixa-nos com uma vergonha do nosso passado mais dominador do que descobridor. Mas, o passado ao passado pertence e caminhamos para um futuro de liberdades e igualdade. A Ilha de Goreé é como uma ilha-museu e mostra um pouco desse sentimento.
Nas horas que lá passei, centenas de crianças senegalesas estavam lá de visita, a fazerem trabalhos de escola sobre a escravatura e a abolição da mesma.
Esta ilha, a alguns minutos de barco de Dakar, foi um ponto do tráfico de escravos. Eram aqui mantidos, separados de acordo com a sua idade e força, antes de serem vendidos e levados para a América.
É uma história dura a que contam estas paredes… de dominação, segregação e violência… que demorará séculos a ultrapassar. E que pode ser contada no Museu dos Escravos da ilha.
Apesar dessa parte, a ilha é muito bonita de visitar com inúmeros pontos de cor, das janelas e portas de estilo colonial. O tour leva-mos a conhecer o museu, o forte e a fazer um almoço por aqui, com peixe fresco… a olhar o mar.

*Informações sobre o ferry para a ilha Gorée: 
– tem 3 preços diferenciados: para senegaleses, para africanos e para o resto do mundo
– não compre bilhetes a não ser no próprio cais, na bilheteira
– éramos um grupo grande e mais de metade dos nosso bilhetes já tinham sido usados e por isso não passaram nos torniquetes. Tiveram de ser comprados novos bilhetes
– é dada prioridade no ferry aos habitantes da ilha, por isso, poderá ter de esperar um pouco para embarcar. Ou esperar pelo próximo barco

Sala para o ferry -para a Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Sala para o ferry -para a Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ferry para a Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ferry para a Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ferry para a Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ferry para a Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Casa do Governador – Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Vista para Dakar na viagem para a Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Vista para Dakar na viagem para a Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée - Senegal © Viaje Comigo

Ilha de Gorée – Senegal © Viaje Comigo

Chegada do barco a vapor para a Ilha de Gorée (1910) - Senegal © Viaje Comigo

Chegada do barco a vapor para a Ilha de Gorée (1910) – Senegal © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo