Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo
Publicado em Março 1, 2019

Passeio de 1 dia em Luxor, Egito

África/ Egito/ Notícias [ Luxor ]

Antiga cidade de Tebas, capital do reino durante o Império Novo, Luxor fica a 720 Km a sul do Cairo. Por ter um legado histórico enorme, é classificada como o “maior museu ao ar livre do mundo”, onde as ruínas são milenares. O Nilo divide Luxor em duas partes: a margem leste e a margem oeste. Banhada pelo rio, a antiga Tebas, como os antigos egípcios a chamavam, foi fundada acreditando-se que, quando o sol se põe no oeste, ele luta para emergir e renascer no dia seguinte. Por isso, os egípcios construíam cidades e templos na margem este do rio, e a parte oeste estava destinado aos mortos, para que as suas almas se juntassem ao Deus Sol, na viagem além da morte. O destino Egito é a aposta de dois grandes operadores: Soltrópico e Solférias, em Portugal. Veja o vídeo do passeio de um dia por Luxor:

Partimos, ainda de noite, para fazer uma excursão de um dia em Luxor. Íamos ficar lá mais tempo, mas a meteorologia mudou-nos os planos. Os voos do Cairo foram todos cancelados por causa do mau tempo… o que é o mesmo que dizer que Luxor acolheu uma brutal tempestade de areia que não permitiu que os aviões levantassem ou aterrassem. Assim, a única opção foi ir para Hurghada e, depois, fazer esta excursão de um dia que, bem aproveitada, dá para ver muita coisa. Claro que, ficou muita coisa bonita por ver, mas terá de ficar para uma próxima vez em Luxor.

A caminho de Luxor - Egito © Viaje Comigo

A caminho de Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Na ida para Luxor, atravessámos as montanhas do Mar Vermelho. Um cenário que quase nos leva para um cenário de um planeta diferente… numa estrada de alcatrão preta, ladeada de montanhas e planícies desérticas. Fizemos uma paragem a meio do caminho e demoramos pouco mais de 4 horas a chegar à cidade de Luxor.

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Escaravelho no Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Antes de vermos qualquer templo, passamos na Avenida das Esfinges, que mostra logo quão enorme era a área que envolvia o Templo de Luxor e Karnak (ou Carnaque). O Templo de Karnak , dedicado ao deus Amon-Rá é um complexo enorme (considerado o maior do Egito), com avenidas a atravessá-lo, cheio de espaços diferentes e templos. Para ficarmos de queixos caídos, é só olhar para os dois obeliscos (com mais de 20 metros de altura) e ouvirmos dizer que a sua construção é de 2.200 anos antes de Cristo. E ali continuam, firmes e hirtos!

O templo demorou imenso tempo a ser construído, porque ia tendo cada vez mais templos acrescentando. Crê-se que deverá ter sido terminado em 360 a.C. É o maior Templo do Egito, onde trabalharam cerca de 80 mil pessoas! Durante um milénio o templo esteve coberto pelas areias e, em meados do século XVIII, foi descoberto em escavações.

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Karnak – Luxor – Egito © Viaje Comigo

À noite, no complexo, há espetáculos de som e luz. Não estive de noite, mas deve ser muito bonito de assistir. Se for no tempo mais quente, a noite é também a melhor opção, pois estará com menos gente e mais fresco, ficando certamente bonito com a iluminação.

Antigamente, o Templo de Luxor e o Templo de Karnak estavam unidos – em 3 Km – pela Avenida das Esfinges, que tinha mais de 600 esfinges a ladear a avenida, mas muitas acabaram por ser destruídas. Em frente ao lago, está uma estátua de um escaravelho e vai notar que há muita gente em redor dele, a dar voltas. O escaravelho é símbolo de sorte e prosperidade, por isso, quem der sete voltas ao mesmo terá boa sorte.

Processo do Papiro © Viaje Comigo

Processo do Papiro, Luxor, Egito © Viaje Comigo

De seguida, fazemos uma paragem comercial, mas não comprámos nada. Perto do Templo de Karnak, existem muitas lojas que lhe vão mostrar como se faz o papel de papiro. Todo um processo, moroso, que justifica o verdadeiro valor das peças de papiro – são quadros para centenas e milhares de euros. As que são falsas são obviamente as mais baratas. Veja o vídeo de como é feito este processo:

De seguida – e na impossibilidade de fazer, nesta viagem, um passeio a sério no Nilo – fomos almoçar a um dos navios que costumam fazer esses cruzeiros no famoso rio, que corre do sul para o norte. O almoço no Amwaj foi servido em buffet, com vários pratos à escolha: saladas, legumes, peixe e carne, com arroz ou massa. E doces ou fruta para a sobremesa. É como um verdadeiro navio de cruzeiros, com piscinas no topo e tudo. A vista é para o Vale do Reis.

Cruzeiro Amwaj - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Cruzeiro Amwaj – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Piscinas do cruzeiro Amwaj - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Piscinas do cruzeiro Amwaj – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vista do cruzeiro Amwaj para Vale dos Reis - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vista do cruzeiro Amwaj para Vale dos Reis – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Depois do almoço, atravessamos o Nilo de lancha para chegarmos à outra margem onde nos esperavam alguns vendedores de pechisbeques relacionados com o Egito. Sem tempo para compras, porque ainda há muito para visitar, entramos na camioneta para irmos a um dos locais que mais ansiava ver: o Vale do Reis.

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis - Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis – Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis - Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis – Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis - Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis – Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis - Egito © Viaje Comigo

De barco no rio Nilo, Luxor, para chegar a Vale dos Reis – Egito © Viaje Comigo

Seguindo a tendência mundial, são cada vez mais os locais que pedem um pagamento extra (além do bilhete de entrada) para fotografar e/ou filmar. No Vale dos Reis são cerca de 15€(!), o que me parece bastante excessivo; mas, se for num grupo, pode uma das pessoas fotografar e depois partilhar com os outros. Se não quiser fotografar e/ou filmar, terá de deixar a sua câmara junto do pessoal da segurança, junto da entrada.

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Entrada num dos túmulos do Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

O que mais impressiona no Vale dos Reis é ficar a pensar… tantos anos que estiveram escondidos estes túmulos, cobertos de areia e terra, sem ninguém saber a riqueza (patrimonial e histórica) que estaria ali debaixo. Deve ter sido mesmo emocionante a descoberta de cada um destes túmulos. A sala de entrada para o Vale do Reis – onde apanhámos um comboio para chegar até ao local dos túmulos – tem uma maquete que explica quão tapados estavam – vejam as imagens abaixo.

Maqueta de Vale dos Reis - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Maqueta de Vale dos Reis – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Maqueta de Vale dos Reis - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Profundidade dos túmulos, por baixo da terra – Maqueta de Vale dos Reis – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

O Vale dos Reis é o local onde, entre os séculos XV-XI a.C., foram construídos túmulos (tumbas) para os faraós e nobres do Antigo Egito. Os túmulos estão decorados com desenhos da mitologia egípcia e, infelizmente, quase todos foram saqueados, tendo permanecido apenas as peças mais pesadas, de pedra. Sendo Património Mundial da UNESCO, o Vale dos Reis ficou ainda mais conhecido aquando da descoberta da tumba de Tutankhamon, e sobretudo os rumores da maldição que a mesma encerrava.

Se reparar nas maquetas, vai encontrar as letras KV que significa King’s Valley, ou seja, o Vale do Reis. É possível visitar tumbas de vários Ramsés, como o IV, VI e I, por exemplo.

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor - Egito © Viaje Comigo

Vale dos Reis, Luxor – Egito © Viaje Comigo

Túmulo em Vale dos Reis - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Túmulo em Vale dos Reis – Luxor – Egito © Viaje Comigo

A última visita de um dia de passeio por Luxor foi ao Templo de Hatshepsut, de homenagem a Amon-Rá o deus do Sol, que fica perto de Vale dos Reis. Foi construído pela rainha Hatshepsut, a quem sucedeu o seu enteado, Tutmósis III. Segundo conta a História, não era grande fã da madrasta e quis destruir tudo o que estava relacionado com ela e, por isso, muitas estátuas e inscrições desapareceram.

Neste túmulo, não se paga para fotografar. Paga o bilhete de entrada e, se não quiser caminhar muito, paga um extra para o comboio que o transporta até às escadas do templo. É uma escadaria ampla que nos espera para subirmos para um ponto cimeiro onde várias estátuas olham o cenário desértico, onde antes estiveram verdejantes jardins. Uma das lendas de Hatshepsut é que ela terá sido a mãe adotiva de Moisés. Segundo a Bíblia, Hatshepsut tinha ido banhar-se no Nilo, quando viu o cesto com um bebé, que veio a ser Moisés. A sua arquitetura ainda é alvo de estudo, uma vez que é considerada muito avançada para a sua época (foi construído entre 1473-1458 a.C.).

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Templo de Hatshepsut – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Ainda antes de voltarmos para Hurghada, há mais uma paragem comercial. Quase todas as excursões visitam uma das lojas típicas onde trabalham a pedra (alabastro). Mas, neste caso, nem fiquei incomodada de estar numa loja (Morsy Alabaster Factory) onde só querem que compremos coisas. Neste espaço, quem nos recebe é um verdadeiro homem do espetáculo. Tem música, dança, e ainda põe todos os outros trabalhadores a repetirem o que diz, sendo que fala várias línguas e o português dele dá para nos divertir muito. É, de facto, um momento muito divertido.

Loja de pedra alabastro, em Luxor - Egito © Viaje Comigo

Loja de pedra alabastro, em Luxor – Egito © Viaje Comigo

Dentro Loja de pedra em Luxor - Egito © Viaje Comigo

Dentro Loja de pedra em Luxor – Egito © Viaje Comigo

Já quase a deixar Luxor, e a regressar a Hurghada, fazemos uma última paragem junto de duas estátuas gigantes, situadas entre a estrada principal e os campos de cultivo. Os Colossos de Mêmnon eram as guardiãs do templo funerário do faraó Amenófis III da XVIII Dinastia, e ficam na parte oeste de Luxor. Com cerca de 18 metros de altura, as estátuas representam o faraó sentado no trono, relaxado, com as mãos sobre os joelhos. São verdadeiros colossos!

Colossos de Mêmnon - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Colossos de Mêmnon – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Colossos de Mêmnon - Luxor - Egito © Viaje Comigo

Colossos de Mêmnon – Luxor – Egito © Viaje Comigo

Rio Nilo - Luxor © Viaje Comigo

Rio Nilo – Luxor © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo