Susana Ribeiro no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo
Publicado em Julho 27, 2015

Mercado flutuante de Damnoen Saduak, Tailândia

Ásia/ Notícias/ Tailândia

Na Tailândia, o mercado flutuante pode ser algo um pouco produzido para turistas verem, mas é muito interessante e merece que passe lá, pelo menos, uma manhã. Fiz a minha visita ao Mercado Flutuante de Damnoen Saduak, a partir de um tour de Banguecoque.

Este é um local muito tradicional, já que é aqui que os locais fazem as suas compras do dia a dia. Ainda que agora o mercado esteja adaptado aos turistas (com preços mais inflacionados), é ao início da manhã que os habitantes vêm fazer as suas compras de legumes, frutas, peixes, etc.

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Entrada para os barcos no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Trânsito no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Trânsito no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Viver ao longo de um canal fez com que os habitantes locais aproveitassem as margens para desenvolverem negócios. Outros transformam os próprios barcos em restaurantes, com assadores e mini-fogões, cozinhando e vendendo a comida.

Os barcos são o meio de transporte mais habitual. Usam uns guarda-sóis tanto para proteger do sol, como da chuva (como foi o meu caso). Existem tantos barcos que chega mesmo a haver trânsito de barcos no canal – como pode ver no vídeo. Todos estão muitos habituados a que se fotografe e – não fosse este o “país dos sorrisos” – todos colaboram com um olá tailandês e sorridente.

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Para chegar ao mercado flutuante, primeiro partimos de Banguecoque, manhã cedo, numa carrinha que apanha os vários participantes nos hotéis na área de Khaosan Road. Íamos parando e apanhamos mais algumas pessoas e, por fim, partimos para a zona do mercado flutuante.

O nosso motorista tinha o pé pesado, por isso, chegamos antes do tempo previsto ao canal. Esperamos alguns minutos (com tempo para ir à casa de banho – aqui e no mercado paga-se a entrada na casa de banho) e apanhamos um barco a motor que nos leva ao mercado flutuante. Quando lá chegamos, o guia perguntou se queríamos outro tipo de passeio: de elefante, algo com crocodilos ou o passeio de barco – que é pago à parte – de 150 baht por pessoa. Escolhi o passeio de barco.

O passeio no barco dura cerca de 20 minutos – parece inicialmente pouco tempo, mas é o suficiente para dar uma volta pelo canal – passando por várias lojas, junto da água, e pelos barcos que vendem comida, chapéus, etc.

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Alguns comerciantes tentaram vender-nos coisas à passagem do barco mas não vi ninguém a fazer-lhes compras. Nem sei como ganham a vida! O passeio é curto de mais para nos deixarmos levar por algo e a passagem é rápida demais para nos decidirmos. Depois de o barco parar vai ter muito tempo para dar uma volta pelas várias lojas – e aí sim vi muita gente a fazer compras.

Depois do passeio de barco, vai ficar cerca de duas horas a passear nas margens do canal. Ou seja, muito tempo para compras todas. Além de roupa, fruta, acessórios, objetos de decoração, os bálsamos de menta (vendidos em todo o lado para quase-todos-os-males-do-corpo), há ainda outras atrações para turistas.

Há cobras para tirarem fotografias e também os doces loris lentos… Como não gosto que explorem os animais não tirei foto com nenhum deles, mas não resisti a tirar à dona com o bichinho. Falei com ela. Apesar de o animal ter sempre aquele ar infeliz – e estar fora do seu habitat – depois de falar um pouco com a dona, acho mesmo que ela o tratava bem.

Cobras no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Cobras no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Cobras no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Cobras no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Loris Lento no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Loris Lento no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Nestas lojas, para negociar, é essencial que já tenha o termo de comparação em relação a Banguecoque.
Porque, os comerciantes dizem de tudo para vender: “é seda tailandesa”, “é feito tudo à mão”, etc E até pode ser mas os preços aqui são mais elevados. Negoceie bem. O lado onde deixam os turistas para entrarem nos barcos é também mais caro do que a outra margem. Depois do passeio de barco, faça o percurso junto à margem, atravesse a ponte e passe à outra margem. Como não recebem tantos turistas, conseguem-se melhores preços.

Lojas no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Lojas no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Se estiver farto de compras e de regatear há cafés, com esplanadas, onde pode provar gelados, fruta e até um café-bar muito “cool”, que parece deslocado de tão moderno que é.

Nota: depois de fazer o passeio de barco, comecei a caminhar na direção da ponte (de onde se tiram as melhores fotografias do canal) e vi que havia passeio de barco, a remos, por 100 baht (ou seja, menos 50 baht que o meu) mas não sei se era a mesma duração (20 minutos). No mesmo local, para ir num barco a motor era 250 baht por pessoa.

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Se não quiseram gastar mais dinheiro, podem simplesmente passear pela zona, sem o passeio de barco. Mas o mercado é feito de lojas que vendem quase todas o mesmo: roupa, souvenirs, algumas com obras de arte, como quadros, e ainda pode assistir a pinturas em porcelana e à arte de modelar sabonetes (veja o vídeo).
É nos barcos que está a maior parte dos locais com comida asiática, mas também há restaurantes em terra firme.

Paguei por este tour 250 baht – apanhou-me e deixou-me à porta do meu hotel em Banguecoque e negociei o preço- que incluía somente o transporte para o mercado flutuante: primeiro de carrinha e depois no primeiro barco. O segundo barco, a remos, é pago à parte (os tais 150 baht/pessoa).

O tour arranca cedo de Banguecoque, por volta das 7h00, para apanhar as outras pessoas (noutros hotéis), e demora cerca de uma hora a chegar ao mercado. Ficamos lá das 9h30 às 11h00. Depois do passeio de barco (20 minutos), tem ainda mais de uma hora para passear e fazer as compras.

Se desejarem saber o nome da agência, enviem e-mail para o Viaje Comigo.

Lulas gigantes no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Lulas gigantes no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Passeios de barco mais baratos no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Passeios de barco mais baratos no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Susana Ribeiro no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Susana Ribeiro no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Roupa no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Roupa no Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Mercado flutuante de Damnoen Saduak © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo