Publicado em Julho 26, 2013

A experiência no Extreme Sailing Series

Norte/ Notícias

Puxa fio, solta corda, puxa vela, vai para a direita, vai para a esquerda, fica no meio, inclina mais… estamos a voar? Não estávamos, mas parecia. Resultado: uma adrenalina enorme! Esta foi a minha experiência a bordo de um catamarã na Extreme Sailing Series.

Ontem, a quinta etapa da sétima edição da Extreme Sailing Series, que vai decorrer até domingo no Porto, começou com regatas no mar e, hoje e durante o fim de semana, as provas realizam-se no rio. Nos catamarãs, às voltas no oceano, depois da foz do rio Douro, estavam as equipas à espera dos convidados, que iam velejar com eles.

IMG_4793Uma das novidades desta edição é a equipa portuguesa, ROFF Cascais, que participa como convidada. A eles coube o privilégio de levar a atleta olímpica Rosa Mota para a sua primeira viagem de catamarã.

No final, a maratonista disse ter “adorado a experiência” e com o seu olhar clínico, de atleta de alta competição, verificou que “é precisa uma grande preparação física e que se conheçam muito bem, para funcionarem bem como equipa”.

Uma experiência que também eu pude ter. A mim calhou-me fazer uma prova com a suiça Alinghi, uma equipa constituída por veteranos da America ́s Cup – team do milionário suíço Ernesto Bertarelli. Um grupo muito profissional e muito focado no que estava a fazer.

Primeiro, os convidados, seguiam num barco, a partir da Douro Marina,  até ao mar. Aí, tínhamos de trocar para um outro barco, que trabalha com a equipa, e que nos leva até ao catamarã onde estava a team Alinghi à minha espera. Mal cheguei,  explicaram-me os procedimentos em inglês. 1 – Ficas no meio da rede. 2. Cuidado com a cabeça (para não apanhar com a vela!). 3. Quando te chamarmos vens atrás de nós. Fácil, não?

Alinghi

Alinghi

E assim foi. Começa a ouvir-se uma contagem decrescente e é a partida para a prova. De vez em quando, lá ouvia “Come Susana!” (em bom português, “Anda Susana!”). E lá ia eu aos pinchos, a saltar na rede que une os dois cascos. Uma rede dura, duríssima para os meus joelhos e cotovelos que ficaram um pouco maltratados no final. Mas,  definitivamente valeu a pena! Infelizmente não pude filmar nem fotografar, com receio que o material ficasse danificado. Mas o Viaje Comigo vai seguir as provas no rio Douro e publicar imagens no Facebook e no Instagram.

Durante a prova, que contorna várias bóias no mar, houve alturas em que, por escassos centímetros, não batemos noutros catamarãs. Uma loucura total, com adrenalina ao máximo, e em que quase não se sente que só metade do veleiro é que está a tocar na água.

Entre uns impropérios amigáveis, entre velejadores, seguidos de “Get out of the way” (saiam da frente), a prova transformou-se, por momentos, na corrida mais louca do mundo, com o catamarã a ganhar alguma velocidade. Por alguma razão lhe chamam a Fórmula 1 da vela…

Day3

Terceiro Dia

De cada vez que voltávamos a tocar com os dois cascos na água, seguia-se a correria da equipa, que vai trocando palavras – mesmo sabendo falar inglês, são palavras técnicas e, por isso, não percebi metade do que diziam – fazendo com que coordenem melhor os  movimentos. Puxa fio, solta corda, enrola, enrola, enrola ainda mais. “Come Susana!” (Anda Susana!). E lá ia eu. Saltámos todos para o mesmo lado do catamarã (eles muito mais rápidos que eu obviamente… é daquelas alturas em que desejámos estar em melhor forma física) e lá íamos nós, deslizando suavemente no mar.

Uma verdadeira aventura! Também Rosa Mota, com 55 anos, se mostrou muito entusiasmada com esta experiência. “Adorei e gostava de repetir”, disse a campeã olímpica portuguesa no final da prova, que marcou a sua estreia em catamarãs. “Como convidados temos de estar muito atentos às ordens deles. E quando era preciso lá gatinhava eu na rede para ajudar e não atrapalhar”. A equipa portuguesa ROFF Cascais tem um grande desafio pela frente: vai participar em setembro na America’s Cup Junior, em São Francisco. “Desejo-lhes a muitas felicidades”, disse Rosa Mota.

As corridas da Extreme Sailing Series, no Porto, vão passar na RTP2, mas se puder ir até ao local, onde milhares se vão juntar nas margens do rio, aqui ficam os horários da Extreme Sailing Series: dia 26: 15h00-18h00 (regata no rio Douro); dia 27: 12h00-19h00 (windsurf e regatas); dia 28: 12h30-19h00 (windsurf e regatas)

Texto: Susana Ribeiro

Comentários

Poderá também gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Regressar ao topo

Partilhe esta página