Vista do Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo
Publicado em Janeiro 10, 2017

Conhecer Rabat, guia para a capital de Marrocos

África/ Marrocos/ Notícias [ Rabat ]

A cidade de Rabat é a capital do Reino de Marrocos e centro diplomático e político do país. Com 1,7 milhões de habitantes, Rabat é uma cidade moderna que quase se divide em duas totalmente distintas: a que tem o metro de superfície, centros comerciais, museus, salas de espetáculos e uma marina de luxo, e a da Medina que conserva o comércio tradicional, onde se vendem pezinhos de porco e pão em bancas de madeira espalhadas pelas ruas.

Rabat é também uma das Cidades Imperiais, com o seu centro histórico classificado como Património da Humanidade, conjugando a sua modernidade com o desenvolvimento e construção de infraestruturas e acessibilidades. A primeira vista que tivemos de Rabat, foi a partir de Salé, do outro lado do rio Bouregreb – juntas têm cerca de 3 milhões de habitantes – tornando a capital a segunda maior cidade do Reino, depois de Casablanca.

Vista de Salé - Marrocos © Viaje Comigo

Cemitério e vista de Salé – Marrocos © Viaje Comigo

De Salé, a vista atravessa um colorido e ordenado cemitério, com vista para o rio e para o mar. Também dali se consegue ver a Kasbah dos Oudayas que tem uma vista panorâmica para oceano Atlântico, para a foz do rio e luxuosa marina de Rabat.

Na beira-mar e beira-rio de Rabat vai encontrar esplanadas e restaurantes onde pode desfrutar da vista – tem uma faixa costeira de 11 quilómetros dedicada ao turismo, lazer e cultura.

Metro em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Metro em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Grafiti em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Grafiti em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Venda de pão, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Venda de pão, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bancas nas portas da Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bancas nas portas da Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

O rio Bouregreb vai desenvolver a cidade com novas atracões: os cruzeiros, os espaços de restauração e de passeios a pé de ambos os lados do rio, além da sua marina para os amantes de vela. Para facilitar as viagens na cidade, existem duas linhas de eléctrico, com uma extensão total de 22 km, novas infraestruturas rodoviárias, a nova Ponte Rabat-Salé e um túnel.

Numa das tardes em que estive em Rabat, fui fazer compras à Medina. Apesar da enorme agitação, andava-se bem no seu interior. No exterior da muralha, ao final da tarde, estavam vendedores espalhados pelos passeios a vender de tudo e mais alguma coisa. Desde comida a brinquedos, de telemóveis a roupa e de acessórios a objetos de decoração.

Vendedores nos passeios, fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Vendedores nos passeios, fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

O souk em si tem inúmeras lojas repetidas: de roupa, confeitarias, cafés, eletrónica… mas depois de andar uns bons minutos consegui descobrir a rua com os produtos mais turísticos e é certamente a rua mais organizada e colorida da medina. Há cestas, objetos de madeira, tapetes e roupas, malas de pele, etc… tudo o que é normal ver-se à venda em Marrocos.

Vendedores nos passeios, fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Vendedores nos passeios, fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

A rua fica mesmo em frente ao Kasbah dos Oudayas, é só atravessar a rua e já lá está. Não se esqueça de regatear, apesar que aqui pouco baixam os preços. Mas, ao contrário de Marraquexe, por exemplo, os vendedores não são tão insistentes.

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Dentro da Medina quase não se sente que se está numa grande cidade e que é capital do Reino de Marrocos. Tem uma calma tal que o único barulho que se ouve é o do chamamento das orações de tempos a tempos… Não se admire se vir passar jovens com as pranchas de surf, deibaixo dos braços, Rabat tem muita procura por quem faz estes desportos aquáticos e o cheiro a maresia segue-nos para todo o lado.

Surfistas no souk de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Surfistas no souk de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Rabat é uma cidade de avenidas largas, com árvores, e também uma cidade de estudantes, com um bairro universitário (“Cidade do Conhecimento”), faculdades, universidades e institutos de pesquisa.

Sabia que Rabat tem mais de 230 hectares de parques e jardins (20m2 por habitante)? Só isso valeu-lhe o título de “Cidade Verde”, à escala internacional em abril de 2010, por ocasião do Dia da Terra.

Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Rabat divide-se por três bairros: a Medina, o Kasbah dos Oudayas e o Bairro Hassan:

A Medina

É considerada como o centro histórico tendo uma frente virada para o Oceano e outra separa-a da cidade nova com as muralhas. No seu interior está o Mellah (antigo bairro judeu) e o seu bazar (souks) coberto. A medina está rodeada pelas muralhas Almóadas, pelos muros do Kasbah dos Oudayas, pelo muro dos Andaluz que separa a cidade nova da cidade antiga e pelo rio Bouregreg.

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

A Rua dos Cônsules é uma das mais agitadas da medina, com lojas de artesãos e comerciantes de tecidos e tapetes. Aliás, se aqui andar durante a manhã pode assistir ao leilão de Tapetes Rbatis. Desde o século XVII, e até 1912, todos os diplomatas e representantes de países estrangeiras era nesta rua que residiam – como tinham fácil acesso ao Souk dos escravos, podiam resgatar os seus compatriotas capturados por piratas (o que aconteceu durante o final do século XVI, e o final do século XVII) que aqui os vinham vender em leilão.

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

No Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

No Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Kasbah dos Oudayas

Poderá ser um dos primeiros pontos da sua visita em Rabat. Tem uma vista muito bonita sobre a praia, estuário do rio o Bouregreg e de Salé. Foi construído em 1150 pelos Almóadas – dinastia berbere que dominou o Norte de África e parte da Península Ibérica de 1147 a 1269 – e tem ligação com a cidade através da porta Bab el Kebir.

Vista do Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Vista do Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bairro de Hassan - Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bairro de Hassan – Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bairro de Hassan

As marcas do tempo colonial ainda estão no Bairro de Hassan, onde se encontra a Torre de Hassan, considerado um ex-libris de Rabat, e o Mausoléu de Mohamed V.

Entrada do Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Entrada do Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Com os soldados montados em cavalos – de um lado brancos e do outro mais escuros – é-nos cedida a entrada no espaço onde podemos visitar o mausoléu com a mesquita ao lado. Cá fora, saem uns sons da torre para afugentar os pássaros – e não é que resulta?!

O projeto da mesquita começou em 1196, tendo como objetivo a construção do mais alto minarete do mundo, que fosse semelhante ao da Koutoubia em Marraquexe e ao da Giralda de Sevilha. Mas, a obra ficou inacabada e tem apenas 44 metros de altura, enquanto que o de Marraquexe tem 77 metros. Assim ficou – mesmo depois da destruição do terramoto de Lisboa de 1755, que também aqui se sentiu – e é hoje a Torre Hassan, o tal minarete inacabado da mesquita que nunca foi construída. No entanto, mesmo em frente está uma outra mesquita que é utilizada por todos os muçulmanos.

Torre Hassan - Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Torre Hassan – Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mausoléu Mohamed V

Também o soldado que está à porta do Mausoléu está habituado às fotografias de quem vem visitar esta jóia da arquitetura árabo-andaluza, conjugando a arte tradicional marroquina.

Soldado na entrada do Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Soldado na entrada do Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Sabia que foram 400 os artesãos marroquinos que estiveram na construção dos pormenores deste monumento, entre 1961 e 1971?
Aqui estão os túmulos do rei marroquino e de seus dois filhos, o Rei Hassan II e o Príncipe Moulay Abdallah.

Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Teto do Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Teto do Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Todas as sextas, dia mais importante para o muçulmanos, vêm muitas pessoas orar nesta mesquita e é tanta gente que até na praça exterior ficam. No exterior do Mausoléu está um jardim e, porque se sabe que esta é uma zona muito turística, está cheio de vendedores – e, esses sim, são bastante insistentes. Cuidado com as mulheres das pinturas Henna que pegam na sua mão e quando reparar já tem uma pintura e fazem tudo para que a pague. Se não quer, guarde as suas mãos e vá dizendo em francês “Non, merci”.

Outra entrada na praça e mesquita junto do Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Outra entrada na praça e mesquita junto do Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mesquita ao lado do Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Mesquita ao lado do Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

O QUE VISITAR MAIS EM RABAT?

Na zona sul de Rabat estão os jardins da Praça de Méchouar, muito procurados para passeios junto do Palácio Real – não pode tirar fotografias aos Palácios Reais, em nenhuma cidade de Marrocos – e, se estiver pelas 19 horas, pode assistir ao render da guarda militar.

Fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Fora da Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Chellah

É uma necrópole que fica a cerca de 2 kms do centro da cidade, e está construída sobre as ruínas duma antiga cidade romana. Foi construída na primeira metade do século XIV e é considerado um dos locais mais românticos de Marrocos, junto ao rio. Em junho, este espaço acolhe o festival “Jazz au Chellah festival”.

RABAT, CAPITAL CULTURAL

Novas apostas estão a transformar ainda mais Rabat numa cidade cultural. O Museu Mohammed VI, o primeiro do país inteiramente dedicado à arte moderna e contemporânea, insere-se no programa “Rabat cidade luz, capital cultural de Marrocos” que pretende posicionar a capital como destino e cidade de cultura.

O projeto compreende ainda a construção do Grande Teatro ‐ com conceção de Zaha Hadid, a primeira mulher do mundo laureada com o prémio Pritzker em 2004 –, do Museu Nacional da Arqueologia e Ciências da Terra e várias casas de cultura, um complexo residencial, espaços dedicados a atividades comerciais e recreativas, ordenamento de espaços verdes, para além da realização de uma Marina.

Museu de Arte Mohammed VI, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Museu de Arte Mohammed VI, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Rabat, a capital da Música

– Festival “Mawâzine Ritmos do Mundo”: criado em 2001, decorre geralmente em maio, e é considerado um dos maiores festivais mundiais de música. Mais de 40 países, dos quatro cantos do mundo, são representados todos os anos no palco para os Concertos que decorrem por mais de uma semana, repartidos por vários locais de toda a cidade. Todas as noites, acolhe mais de 80.000 pessoas.

– O Festival de Jazz em Chellah, surgido em 1996, é um dos eventos pioneiros que celebra a fusão musical em Marrocos. O festival é uma expressão artística em palco aberto da região euro- mediterrânica e do mundo, um lugar de encontro entre músicos de jazz europeu e marroquino. Geralmente acontece no mês de junho.

– Música andaluza: não se pode falar de cultura rbati sem mencionar a música andaluza “Al Ala”; de herança árabe-andaluz que se perpetua através dos muitos centros e escolas que preservaram as regras estritas de uma música não-escrita, transmitida oralmente de professor para alunos de música.

Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

No souk de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

No souk de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

– Artesanato Rbati: O artesanato rbati é reconhecido pelo seu requinte herdado da tradição andaluza. Tapetes tradicionais de Rabat: classificados como urbanos em oposição à produção rural do Atlas. São finos, a lã é curta, muitas vezes vermelha, tendo no seu centro motivos florais.

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Souk, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Os Bordados: as mulheres trabalham tecidos tradicionais (algodão, linho, seda) com motivos florais.

A Cerâmica de Salé: o segundo setor artesanal (depois dos tapetes) e uma das atividades mais antigas da região. Foram descobertas cerâmicas que datam dos primeiros séculos da era islâmica e também da época romana. O trabalho da argila conheceu um grande desenvolvimento após a construção do complexo de artesanato El Oulja em Salé.

Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Medina de Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

O QUE FAZER EM RABAT

– Club Aéreo de Salé e de Oulja.
– Jogar ténis: é um desportos populares em Rabat, com muitos clubes a organizarem torneios nacionais e internacionais. – Spas e hammams, tradicionais ou modernos.

Praias em Rabat

A Sul de Rabat, as praias até Bouznika têm grande areais. Um pouco mais a sul, uma sequência de praias de areia fina, começa a partir da cidade de Temara.
A começar pela praia de El Harhoura com o seu microclima e sua floresta circundante, a praia Sidi Al Abed, o grande Vale de Or, o pequeno Vale de Or das areias douradas são bonitas praias. E têm restaurantes, parques infantis e postos de socorro).

Vista para a praia do Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Vista para a praia do Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

SURF

As praias das Nações e Mehdia, localizadas a cerca de 25 km ao norte de Rabat, são consideradas o berço do surf marroquino e é onde estão instaladas escolas de surf e bodyboard.
Muito populares entre os surfistas, as praias de Skhirat e de Bouznika são conhecidas pelas ondas e oferecem também a possibilidade de de jet-ski.
Sargos, douradas e todas as variedades de peixe do Atlântico são vendidos em leilão pela manhã em Skhirat.
Na praia em frente ao mar, há belos bungalows adjacentes e a poucos metros do Palácio Real estão os hotéis luxuosos.

No Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

No Kasbah dos Oudayas, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Desporto em Rabat

A cidade oferece uma grande variedade de atividades desportivas. Nas suas praias, clubes de vela, aulas de surf, windsurf, jet ski, caiaque. Clubes equestres aconselham e organizam passeios nas longas praias do Atlântico ou por florestas de sobreiros, ou ainda, disputar um jogo de polo, fazer salto de obstáculos, participar em concursos hípicos.

– Royal Golf Dar Es Salam de Rabat
Uma lenda para os amantes do golfe, inaugurado em 1971 e projetado por Robert Trent Jones, é um circuito com fairways sinuosos através de eucaliptos, palmeiras, jacintos, narcisos, mimosas, papiros e colunas romanas. Aberto todo o ano, oferece três circuitos diferentes para amadores ou profissionais. Os greens do Royal Golf Rabat alcançaram reconhecimento internacional fazendo parte do European Tour.

Jardim ao lado da Torre Hassan - Mausoléu de Mohamed V - Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Jardim ao lado da Torre Hassan – Mausoléu de Mohamed V – Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

RABAT VERDE

A floresta Maâmora uma vastíssima floresta com uma superfície total de 133.000 hectares, uma fauna variada, espécies muito raras; 69 espécies de pássaros, 19 de mamíferos e 25 de répteis. É o pulmão da zona urbana Kénitra, Rabat-Salgar.
Os jardins exóticos de Bouknadel: uma viagem através do mundo com jardins naturais inspirados no Brasil, Polinésia, México, Andaluzia e Peru, com várias espécies exóticas nos seus 14 jardins, labirintos e pontes suspensas, aves, peixes e répteis

A Reserva de Sidi Boughaba : um dos mais belos locais dedicados à vida selvagem de Marrocos, com uma floresta que se estende por 450 hectares e o seu lago, que ocupa mais de 200. A sua vegetação comporta mais de 210 espécies e muitas espécies de animais são frequentemente vistos na reserva: lebres, musaranhos, doninhas, camaleões e mais de 205 espécies de aves.
Os Lagos da Região: Nos arredores de Khemisset, encontram-se os lagos Dayet Rumi, entre os melhores da região, onde pode praticar desportos aquáticos e pesca.

Grafiti em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Grafiti em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Calendário dos principais eventos em Rabat:

Maio
– Mawazine Festival dos Ritmos do Mundo
– Meeting Internacional Mohammed VI de Atletismo
– Troféu Equestre de Marrocos em Rabat

Junho
– A semana do Cavalo, Rabat
– Troféu de Golf Hassan II em Rabat
– Festival de Jazz em Chellah

Julho
– Festival Karacena de Salé
– 12 Rabia al Awal – Festa do Mouloud Festas das Velas em Salé
A procissão das Velas. Todos os anos, na véspera do Mawlid (nascimento do profeta) Salé recebe a procissão das velas: nas ruas carros alegóricos decorados à frente com treze velas originalmente usadas pelos antigos marinheiros gondoleiros, que faziam a passagem do Bou Regreg. Esta procissão é realizada há quatro séculos pela Zaouia El Hassounia, uma famosa irmandade religiosa.

Golden Tulip Farah Rabat - Marrocos © Viaje Comigo

Golden Tulip Farah Rabat – Marrocos © Viaje Comigo

ONDE DORMIR EM RABAT

Como uma capital cosmopolita, Rabat tem inúmeros hotéis modernos, mas também tem os tradicionais (e alguns luxuosos) Riads marroquinos e apartamentos privados para alugar. Leia aqui onde fiquei instalada em Rabat, Marrocos, e outras sugestões.

Restaurante Borj Eddar, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Restaurante Borj Eddar, Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

ONDE COMER EM RABAT

Experimentei dois restaurantes aquando da minha passagem em Rabat. Um dos restaurantes do hotel onde fiquei alojada e um outro restaurante mesmo junto da praia e muito próximo do centro histórico. Veja aqui as minhas sugestões de restaurantes.

Bolos em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Bolos em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Anoitecer em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Anoitecer em Rabat, Marrocos © Viaje Comigo

Comentários

Poderá também gostar de

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Regressar ao topo

Partilhe esta página