Quinta das Lágrimas, Coimbra
Publicado em Março 10, 2015

Quinta das Lágrimas, Coimbra, Portugal

Alojamento/ Portugal [ Coimbra ]

Como todas as histórias de encantar, esta também começa com um “Era uma vez…”. Em Coimbra, a Quinta das Lágrimas foi palco dos amores de Inês de Castro e de D. Pedro e é também onde está um palácio-hotel de cinco estrelas. A entrada no Hotel Quinta das Lágrimas é feita pela escadaria grande, vindo da entrada do portão alto de ferro.

Entrada da casa Quinta das Lágrimas,a Coimbra

Entrada da casa da Quinta das Lágrimas, Coimbra

A História da Casa da Quinta das Lágrimas

A Quinta das Lágrimas foi parar à família dos atuais proprietários em 1730. Em 1879, um incêndio obrigou à reconstrução do palácio. O então proprietário, Miguel Osório Cabral de Castro, faleceu sem deixar herdeiros e a casa passou para o sobrinho-neto, Dom Miguel Osório Cabral de Alarcão, sendo atualmente propriedade dos seus netos.

São vários os jardins que se encontram desenhados na Quinta das Lágrimas: o Jardim Medieval, o Jardim Romântico e a Mata.

Casa da Quinta das Lágrimas, Coimbra

Casa da Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte na entrada da Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte na entrada da Quinta das Lágrimas, Coimbra

São várias as ilustres personagens que passaram pela Quinta das Lágrimas. É o caso do Duque de Wellington, que serviu durante as invasões Napoleónicas e lutou na Batalha do Buçaco ao lado de António Maria Osório Cabral da Gama e Castro.

Por ele foram plantadas duas sequóias, hoje com cerca de 190 anos, que são referidas como “Sequóias Wellington”.

Placa de Camões, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Placa de Camões, Quinta das Lágrimas, Coimbra

E encantado com a lenda de Pedro e Inês, Wellington mandou colocar a placa, junto à Fonte das Lágrimas, onde se lê a estrofe 135 do canto III dos Lusíadas:

“As filhas do Mondego, a morte escura
Longo tempo chorando memoraram
E por memória eterna em fonte pura
As Lágrimas choradas transformaram
O nome lhe puseram que ainda dura
Dos amores de Inês que ali passaram
Vede que fresca fonte rega as flores
Que as Lágrimas são água e o nome amores”

É, aliás, a Camões que se deve o nome Fonte das Lágrimas. Da fonte natural, sai uma água limpa da rocha desembocando num lago que servia para abastecer os habitantes daquela área, há muitos séculos.

Pedra da Fonte das Lágrimas, com os versos de Camões

Pedra da Fonte das Lágrimas, com os versos de Camões

Imagem Pedro e Inês - Quinta das Lágrimas, Coimbra

Imagem Pedro e Inês – Quinta das Lágrimas, Coimbra

DOM PEDRO & Dª INÊS DE CASTRO

A principal lenda da Quinta das Lágrimas é a história de Pedro e Inês.
Pedro era o herdeiro do trono português, filho do Rei Dom Afonso IV. Inês era uma dama galega, filha bastarda de Pedro Fernandez de Castro, neto de Sancho IV, Rei de Castela. D. Pedro era casado com D. Constança Manuel – que faleceu – mas diz-se que foi por Inês que sempre morreu de amores. Quem não gostava da dama galega eram os conselheiros do rei e o próprio monarca não aprovava a relação.

Então, num dia, aproveitando o afastamento de D. Pedro, o Rei Dom Afonso IV mandou matá-la. Obviamente que D. Pedro ficou revoltado e, assim que subiu ao trono, mandou executar os três assassinos de Inês. Um conseguiu fugir, mas aos outros dois coube uma execução para nunca mais esquecer: a um foi arrancado o coração pelas costas e ao outro pelo peito.

Conta ainda a história que, em 1360, o Rei D. Pedro anunciou que tinha casado em segredo com Inês. Por isso, quando transladou corpo de Inês para Alcobaça obrigou a nobreza a participar e a beijar a mão da defunta. Foi também Luís de Camões que escreveu n’Os Lusíadas que Inês “depois de morta foi Rainha”.

Fonte das Lágrimas, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte das Lágrimas, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Lago que vem da Fonte das Lágrimas, na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Lago que vem da Fonte das Lágrimas, na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte dos Amores e Arcada, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte dos Amores e Arcada, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Cano dos Amores na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Cano dos Amores na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Cano dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Cano dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Bambus na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Bambus na Quinta das Lágrimas, Coimbra

NA QUINTA DAS LÁGRIMAS: A MATA E JARDINS

Atualmente, nos jardins da Quinta tem uma porta que dá acesso para a mata da Quinta das Lágrimas e uma janela que convida os casais a namorarem. É aqui perto que também está a Fonte das Lágrimas, onde um fungo que deixa a pedra vermelha prolonga no tempo a lenda. Diz-se que é o sangue de Inês que ali ficou marcado para todo o sempre.

Fonte e cano dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Fonte e cano dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Foi nas matas da Quinta que, no século XIV, que Pedro e Inês se encontravam secretamente. Inês residia no Convento de Santa-Clara-a-Velha, perto da Quinta e através de um cano estreito – hoje chamado “dos amores” – comunicavam para marcarem encontro, diz-se. Conta a lenda que o príncipe colocava as mensagens em barquinhos de madeira que, seguindo a corrente, iriam ter com Inês. Também dizem que será só lenda, porque isso demoraria demasiado tempo e obrigava Inês a ficar em permanente atenção. O jeito que teria dado ter tido telemóvel naquela altura! 😀

Árvores na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Árvores na Quinta das Lágrimas, Coimbra

Casal na arcada da Fonte dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

Casal na arcada da Fonte dos Amores, Quinta das Lágrimas, Coimbra

A flora da Quinta das Lágrimas é muito diversificada, tal como um jardim botânico. Aliás, muitas espécies chegavam em duplicado a Coimbra: uma vinha para aqui e outra para o atual jardim botânico. Sobressaem árvores como Araucárias, Figueiras, Plátanos, Podocarpus e Sequóias. Também o jardim de Bambus chineses é muito bonito.

Laços de amor na mata da Quinta das Lágrimas, Coimbra

Laços de amor na mata da Quinta das Lágrimas, Coimbra

Junto da Fonte dos Amores está a árvore que é cartão de visita da Quinta das Lágrimas. Nas fotos mais abaixo, pode ver a gigantesca Figueira da Austrália (Ficus macrophylla). São impressionantes as suas portentosas raízes.

Mais à frente estão duas Sequóias (Sequoia sempervirens) – uma delas parcialmente destruída por um raio – que segundo contam foi plantada pelo Duque de Wellington, e onde está precisamente uma placa com essa informação.

INFORMAÇÕES

Quinta das Lágrimas
Morada: Rua António Augusto Gonçalves, Coimbra
Telefone (+351) 239 802 380
Tem parque de estacionamento gratuito.

Quinta das Lágrimas, Coimbra

Quinta das Lágrimas, Coimbra

Quinta das Lágrimas, Coimbra

Quinta das Lágrimas, Coimbra

Comentários

Poderá também gostar de

Regressar ao topo

Partilhe esta página